Objetivos formativos de Professores de Matemática Participantes da 17ª edição do Curso de GeoGebra

Palavras-chave: Interação., Formação de Professores de Matemática., Tecnologias Digitais.

Resumo

Este artigo tem por intenção apresentar os objetivos manifestados pelos cursistas da 17ª edição do Curso de GeoGebra, verificar se foram ou não alcançados e analisá-los à luz da proposta da equipe formadora para o Curso e de estudos do âmbito educacional a fim de fornecermos elementos à organização de novas edições do próprio Curso de GeoGebra, bem como de outros cursos à distância voltados ao desenvolvimento profissional de professores de Matemática com tecnologias digitais. Os dados para a pesquisa foram produzidos por meio de um formulário ao final da 17ª edição do Curso. Também foram considerados o edital e o projeto da referida edição. As análises dos dados se deram a partir da categorização das respostas dos cursistas às perguntas do formulário e da nossa produção de significados para elas, via uma Leitura Plausível. As análises realizadas permitem indicar que, ao se organizar em torno da interação e de tarefas de escopo aberto, o Curso atende a objetivos de diferentes naturezas. Além disso, foi possível identificar nas respostas ao questionário uma perspectiva de ensino e de aprendizagem da Matemática com tecnologia voltada principalmente à representação gráfica de entes matemáticos e à crença de que os softwares podem dinamizar e modificar as práticas docentes. A partir das análises, indicamos que em próximas edições do Curso devem ser enfatizados outros aspectos da prática docente quando se utiliza o GeoGebra além de suas capacidades técnicas.

Biografia do Autor

Isane Maria Wowcsuk Marques, Universidade Estadual do Paraná

Mestre em Educação Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Estadual do Paraná. E-mail: isanewowcsuk23@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-0402-044X.

Guilherme Francisco Ferreira, Secretaria Municipal de Educação de Praia Grande

Doutor em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista. Professor da rede municipal de ensino da cidade de Praia Grande, São Paulo. E-mail: guilhermefrancisco7ferreira@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7292-2405.

Sérgio Carrazedo Dantas

Doutor em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista. Professor Adjunto do Centro de Ciências Humanas e da Educação, Colegiado de Matemática da Universidade Estadual do Paraná, campus de Apucarana. E-mail: sergio.dantas@unespar.edu.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7043-1664.

Referências

BARRETO, Raquel Goulart; MAGALHÃES, Ligia Karam Corrêa de. Tecnologia singular, sentidos plurais. Revista de Educação e pesquisa em Educação, Juiz de Fora, v. 13, n. 2, p. 11-22, 2011.

CURSO DE GEOGEBRA. 17 ed. Apucarana: Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), 2020.

DANTAS, Sérgio Carrazedo. Design, implementação e estudo de uma rede sócio profissional online de professores de Matemática. Tese (Doutorado em Educação Matemática). Instituto de Geociências e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, 2016. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/136324. Acesso em: 28 fev. 2022.

DANTAS, Sérgio Carrazedo; LINS, Romulo Campos. Reflexões sobre Interação e Colaboração a partir de um Curso Online. Boletim de Educação Matemática (Bolema), Rio Claro (SP), v. 31, n. 57, p. 1-34, abr. 2017.

FERREIRA, Guilherme Francisco. Brincando de gangorra: uma discussão sobre formação de professores e uso de tecnologias. 2016. 96 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – IGCE/UNESP: Rio Claro, 2016. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/132934. Acesso em: 28 de fev. de 2022.

FERREIRA, Guilherme Francisco. Por uma epistemologia da tecnologia na Educação Matemática. 2020. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2020. Disponível em: < Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/191772. Acesso em: 28 de fev.de 2022.

FERREIRA, Guilherme Francisco; DANTAS, S Carrazedo. Notas sobre a disciplinarização do uso de recursos tecnológicos. In: Encontro Paranaense de Tecnologia na Educação Matemática, Apucarana. Anais do I Encontro Paranaense de Tecnologia na Educação Matemática, 2018.

LARROSA, Jorge. Experiência, alteridade e educação. Reflexão e ação, Santa Cruz do Sul, v.19, n2, p.04-27, jul./dez. 2011.

LINS, Romulo Campos. O modelo dos campos semânticos: estabelecimentos e notas de teorizações. In: ANGELO, C. L. et al. (Org.). Modelo dos Campos Semânticos e Educação Matemática: 20 anos de história. São Paulo: Ed. Midiograf, 2012. p. 11-30.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação (Bauru), v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003.

PEIXOTO, Joana. Relações entre sujeitos sociais e objetos técnicos: uma reflexão necessária para investigar os processos educativos mediados por tecnologias. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 20, n. 61, p. 317-32, 2015.

PEIXOTO, Joana; ARAÚJO, Cláudia Helena dos Santos. Tecnologia e Educação: algumas considerações sobre o disCurso pedagógico contemporâneo. Educação & Sociedade, Campinas, v. 33, n. 118, p. 253-268, 2012.

GONÇALVES, William Vieira. O transitar entre a Matemática do matemático, a Matemática da escola e a Matemática do GeoGebra: um estudo de como professores de Matemática lidam com as possibilidades e limitações do GeoGebra. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2016. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/143951. Acesso em: 28 de fev de 2022.

Publicado
2022-04-08
Como Citar
MARQUES, I. M. W.; FERREIRA, G. F.; DANTAS, S. C. Objetivos formativos de Professores de Matemática Participantes da 17ª edição do Curso de GeoGebra . Perspectivas da Educação Matemática, v. 15, n. 37, p. 1-25, 8 abr. 2022.