Memórias de formação e docência de uma professora do interior de Mato Grosso do Sul

Resumo

Este trabalho tem como finalidade analisar as memórias de formação e docência de uma professora que atuou na carreira docente por 38 anos, residente no estado de Mato Grosso do Sul, bem como entender as relações de interdependências estabelecidas durante sua trajetória, e como essas relações influenciaram ou não na constituição de sua profissão. O texto contou com as contribuições metodológicas da História Oral Temáti­ca, com a utilização de entrevista como técnica de abordagem. A discussão teórica dialoga com Norbert Elias, a partir dos conceitos de figurações e redes de interdependências, além de anco­rar-se em outros autores. Os dados elencados no estudo colaboram com a escrita da História da Educação, discussões sobre a profissão, memórias e trajetórias docentes no interior do Estado, considerando que pesquisas no município de Naviraí/MS são recentes, por isso a necessidade de ampliar as discussões sobre a temática. E nos permitiu perceber também que as relações estabelecidas nas redes de interdependências que os indivíduos passam ou pertencem ao longo da vida influenciam em suas escolhas pessoais e profissionais. Tais escolhas remodelam a maneira de ser, e fazer do professor levando-o a se constituir na profissão docente, por meio das experiências que, esse, vai construindo ao longo de seu percurso profissional.

Biografia do Autor

Giseli Tavares de Souza Rodrigues, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Doutoranda em educação pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Mestre em Educação pela mesma instituição. Atuou  como docente de Educação Infantil e Ensino Fundamental. Pesquiadora com foco em estudos acerca da Educação Infantil, formação de professores, história orla e vida narrativas autobiográficas.

Luciene Cléa da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Campus de Ponta Porã (CPPP).

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Campus de Ponta Porã (CPPP).

Referências

BARBOSA, Maria. Carmen. Silveira. Por amor & por força: rotinas na educação infantil. 2000. Tese (Doutorado) − Faculdade de Educação da UNICAMP, Campinas, SP. Disponível em: http: //taurus.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/253489/1/Barbosa_MariaCarmenSilveira_D.pdf/. Acesso em: 28 jan. 2019.

BEN-PERETS, M. VI II Episódios do passado evocados por professores aposentados. In: NÓVOA, A (Org.). Vidas de professores. 2° Ed. Portugal: Porto Editora, 2000.

BOSI, Ecléia. Tempo de lembrar. In. (Org.). BOSI, Ecléia. Memória e sociedade: Lembranças de velhos. Companhia das letras, 3 ed. São Paulo, 1994.

BRASIL. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Senado Federal. Coordenação de Edições Técnicas, 2017, 58 p. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/529732/lei_de_diretri zes_e_bases_1ed.pdf/. Acesso em: 18 mar. 2018.

ELIAS, Norbert. Norbert Elias por ele mesmo. In: Zahar, Jorge. (Org.). Norbert Elias por ele mesmo. Tradução, TELLES, A. Rio de Janeiro: Ed., 2001.

ELIAS, Norbert.; SCOTSON, John. L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma comunidade. Tradução de Vera Ribeiro. Tradução do posfácio de Pedro Sussekind. Apresentação e revisão técnica de Frederico Neiburg. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

FARIA, Horta. Adriana. Trajetórias de professores homens que atuaram com crianças no interior de Mato Grosso do Sul (1962-2007). Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação FAED - Universidade Federal da Grande Dourados − UFGD. Dourados/MS, 2018.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução Laurent Léon Schaffter. São Paulo: Vértice Editora/Editora Revista dos Tribunais, 1990. p. 189.

HUNGER, Dogmar; ROSSI, Fernanda.; NETO, Souza. Samuel. A teoria de Norbert Elias: uma análise do ser professor. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 4, p. 697-710, dez. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ep/v37n4/a02v37n4.pdf/. Acesso em 18 de out. 2020.

HUBERMAN, Michael. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, Antônio (org.) Vida de professores. 2ª ed. Porto: Porto Editora, 2007, p. 31- 61.

JOUTARD, Philippe. Desafios à história oral do século XXI. In: MORAES, M. F.; FERNANDES, M. T.; ALBERTI, V. (Orgs.) História oral: desafios para o século XXI. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz/Casa de Oswaldo Cruz / CPDOC - Fundação Getúlio Vargas, 2000, p. 31-45.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Tradução de Bernardo Leitão et al. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1990 (Coleção Repertórios). Disponível em: https://www.ufrb.edu.br/ppg com/images/Hist%C3%B3ria-e-Mem%C3%B3ria.pdf/. Acesso em: 24 jun. 2018.

MOITA, Maria da. Conceição. Percursos de formação e de transformação. In: NÓVOA, A (Org.). Vidas de professores. 2° Ed. Portugal: Porto Editora, 2000.

MONTIEL, Larissa. Wayhs. Trein. A tessitura do direito à educação em Mato Grosso do Sul: um estudo da trajetória do Plano Estadual de Educação (1983-2003). Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação. Universidade Federal da Grande Dourados − UFGD, Dourados/MS, 2010, 257p.

NÓVOA, Antonio. Os professores e as histórias da sua vida. In: Nóvoa, Antonio, (org.). Vidas de professores. 2 ed. Porto, PT: Porto, 2007. p. 11-30.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Tradução: Yara Aun, Khoury. Projeto História. PUC - SP 10 de dezembro, 1993.

NUNES, Maria. Fernandes. Rezende.; CORSINO, Patrícia.; DICONET, Vidal. Educação infantil no Brasil: primeira etapa da educação básica. Brasília, DF: UNESCO, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica, Fundação Orsa, 2011.

OSTETTO, Esmeralda. Luciana. Educação Infantil e Arte: Sentidos e Práticas Possíveis. Objetos educacionais, UNESP. Acervo digital, 2011. Disponível em: https://acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/320/1/01d14t01.pdf/. Acesso em 16 de ago. de 2020.

RODRIGUES, Giseli. Tavares. Souza. História do Clube de Mães e as origens do atendimento à criança pequena em Naviraí/MS (1974 - 1990). Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação. Universidade Federal da Grande Dourados − UFGD, Dourados/MS, 2019, 172p.

SARAT, Magda. Histórias de estrangeiros no Brasil: infância, memória e educação. 2004. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Metodista de Piracicaba – Unimep, Piracicaba/SP.

SILVA, Soares. Fabiana.; LEBLER, Cortivo’Dall. Cristiane. O uso do diminutivo inho e suas possíveis significações pelo viés da Teoria dos Blocos Semânticos (TBS) e da Linguística Formal. Signo. Santa Cruz do Sul, jan./abr. 2020, v.45, n. 82, p. 101-111. Disponível em:

https://online.unisc.br/seer/index.php/signo/article/view/14265/pdf/. Acesso em: 19 fev. 2021.

PIAGET, Jean. A linguagem e o pensamento da criança. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

VYGOTSKY, Lev. Semyonovich. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

YOKOYAMA, Geovanna. Teatro Glauce Rocha é cenário histórico de grandes espetáculos de MS. 2018. Disponível em: https://www.ufms.br/teatro-glauce-rocha-e-cenario-historico-de-grandes-espetaculos-do- ms/. Acesso em: 20 de fev. 2021.

ENTREVISTA

Marilda Ruiz Moralles Rodrigues. Trajetória Profissional e História da Educação Infantil. Entrevista concedida a Giseli Tavares de Souza Rodrigues. Naviraí/MS, em março de 2018.

Publicado
2021-06-30