Uma ação de capacitação de professores para o ensino da temática indígena em Mato Grosso do Sul

  • Victor Ferri Mauro Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Lei 11.645, formação de professores, história e cultura indígena, educação, diversidade cultural.

Resumo

Este artigo descreve as ações do projeto de extensão "Formação de Professores em História e Cultura Indígena" desenvolvido pela UFMS no município de Naviraí nos anos de 2012, 2013 e 2016 e analisa alguns de seus resultados que vêm beneficiando a sociedade regional. Viabilizado por recursos da Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis da citada universidade e coordenado pelo autor do presente texto, o projeto, na forma de curso presencial, promove palestras ministradas por pesquisadores especializados na temática dos povos originários - sendo alguns deles representantes desses povos - para professores da rede básica de ensino e estudantes de cursos de licenciatura. O objetivo é formar multiplicadores do conhecimento capacitados para atuar em sala de aula, abordando junto a crianças e jovens, questões como: as contribuições dos indígenas na formação da nação brasileira, a realidade indígena atual e a importância dos povos ameríndios na diversidade sociocultural do país e do estado. Dentre as metas buscadas destacam-se a desconstrução dos preconceitos raciais e o estímulo ao diálogo respeitoso para com as diferenças. O projeto assim contribui para a aplicação do ensino de História e Cultura Indígena nos estabelecimentos escolares tal como preconiza a Lei 11.645/2008. São apresentados aqui alguns resultados do projeto levantados a partir de relatos de frequentadores do curso narrando experiências profissionais em que aplicaram conhecimentos obtidos em sua participação na ação de extensão.

Biografia do Autor

Victor Ferri Mauro, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Doutor em História pela Universidade Federal da Grande Dourados. Professor Adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Referências

ALVES, Adriana de Carvalho. Ensino de História e Cultura Indígena: trabalhando com

conceitos, desconstruindo estereótipos. Espaço Acadêmico, n. 168, p. 42-54, 2015.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida; GOMES, Luana Barth. A temática indígena na escola: ensaios de educação intercultural. Currículo sem fronteiras, v. 12, n. 1, p. 53-69, jan./abr., 2012.

BORGES, Elizabeth Maria de Fátima. A inclusão da história e da cultura afro-brasileira e indígenas nos currículos da educação básica. Revista do Mestrado em História, Vassouras, v. 12, n. 1, p. 71-84, jan./jun., 2010.

BRASIL. Casa Civil. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, 5 de outubro de 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental.Parâmetros curriculares nacionais: pluralidade cultural.Brasília, DF: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Presidência da República: subchefia de assuntos jurídicos. Lei 11.645 de 10 de março de 2008. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/_Ato2007- 2010/2008/Lei/L11645.htm>. Acesso em: 05 mar. 2016.

FERNANDES, José Ricardo Oriá. Ensino de história e diversidade cultural: desafios e possibilidades. Cadernos CEDES, Campinas, v. 25, n. 67, p. 378-388, set./dez. 2005.

GANDRA, Edgar Ávila; NOBRE, Felipe Nunes. A temática indígena no ensino de História do Brasil: uma análise da coleção didática Projeto Araribá (2008-2013). Revista do Lhiste, v. 1, n. 1, p. 40-57, jul./dez. 2014.

GOULARTE, Raquel da Silva. MELO, Karoline Rodrigues de. A lei 11.645/08 e a sua abordagem nos livros didáticos do ensino fundamental. Entretextos, Londrina, v. 13, n. 2, p. 33-54, jul./dez. 2013.

GRUPIONI, Luis Donizeti Benzi. Livros didáticos e fontes de informação sobreas sociedades indígenas no Brasil. In: SILVA, Aracy Lopez da Silva; GRUPIONI Luiz Donisetti Benzi. (Org.). A questão indígena na sala de aula. Novossubsídios para professores de 1º e 2º graus. Brasília: MEC, 1995, pp. 481-526.

JORNAL DA UFMS. Professores recebem formação indígena em Naviraí. Campo Grande-MS, ano XIV, n. 59, p. 6, out. 2016.

LEITE, Marlene Gomes. Entrevista concedida a Victor Ferri Mauro. Naviraí-MS, 12/10/2016.

LOPES DA SILVA, Aracy. Nem taba, nem oca: uma coletânea de textos à disposição dos professores. In:_______. (org.). A questão indígena na sala de aula: subsídios para professores de 1º e 2º graus. São Paulo: Brasiliense, 1987. pp. 129-173.

MARCOS, Marina Cândido. Entrevista concedida a Victor Ferri Mauro. Naviraí-MS, 10/12/2016.

MARQUES, Eugênia Portela Siqueira; CALDERONI, Valeria Aparecida Mendonça de Oliveira. Os deslocamentos epistemológicos trazidos pelas leis 10.639/2003 e 11.645/2008: possibilidades de subversão à colonialidade do currículo escolar. OPSIS, Catalão-GO, v. 16, n. 2, p. 299-315, jul./dez. 2016.

MARTINS, Maria Cristina Bohn.As sociedades indígenas, a história e a escola.Antíteses, vol. 2, n. 3, p. 153-167, jan./jun. 2009.

MUSSI, Vanderléia Paes Leite; SOUZA, Noêmia Machado de. Os povos indígenas no Brasil – outra visão da História e da Literatura. In: AGUILERA URQUIZA, Antonio Hilário. (org.). Culturas e história dos povos indígenas de Mato Grosso do Sul. Campo Grande: Ed. UFMS, 2013. pp. 109-164.

ORIÁ, Ricardo. O negro na historiografia didática: imagens, identidades erepresentações. Textos de História, Brasília, v. 4, n. 2, p. 154-165, 1996.

ROCHA, Everardo P. Guimmarães. O que é etnocentrismo. São Paulo: Brasiliense, 1989.

RUSSO, Kelly. PALLADINO, Mariana. Reflexões sobre a Lei 11.645/2008 e a inclusão da temática indígena na escola. Itabaiana: GEPIADDE, ano 08, v. 16, p. 31-50, jul./dez. 2014.

SARZI, Julio Cesar. Entrevista concedida a Victor Ferri Mauro. Naviraí-MS, 11/10/2016.

SILVA, Alzira. Entrevista concedida a Victor Ferri Mauro. Naviraí-MS, 29/11/2016.

SILVA, Edson. Povos indígenas e ensino de história: subsídios para a abordagem da temática indígena em sala de aula. História & Ensino, Londrina, v. 8, p. 45-62, out. 2002.

URIARTE, Urpi Montoya. Euro, etno e outros centrismos. Revista de História da Biblioteca Nacional, ano 8, nº 87, p. 76-79, dez. 2012.

Publicado
2017-07-16
Seção
Artigos