A PESQUISA EM SALA DE AULA COMO INSTRUMENTO PEDAGÓGICO: DA REALIDADE AO CONCRETO-PENSADO

Christiane Caetano Fernandes

Resumo


Este trabalho objetiva debater o estatuto da pesquisa na sala de aula. Partimos de uma certa concepção de pesquisa lato sensu, por assim dizer, que comumente faz-se presente na escola para, depois, discutir sua inclusão como instrumento pedagógico para desenvolver nos alunos uma formação crítica. Tal discussão baseia-se essencialmente no método dialético de Marx e Engels (1989). Recorreu-se ainda a outros autores para a fundamentação do objeto de estudo em questão, como: Kosik (1976), Saviani (2009), Ianni (2011), Frigotto (2004). A apreensão do método dialético pelos docentes oportunizará ao educando a superação do conhecimento oriundo do senso comum, da sua realidade – concreto dado (MARX, 1991) – e, por meio das abstrações mediadas ao longo do processo investigativo, alcançar o novo conhecimento – concreto pensado (MARX, 1991). Assumindo a pesquisa a partir de tal arcabouço teórico, espera-se que o aluno tenha uma leitura crítica da realidade, percebendo as contradições nela existentes, compreendendo-a e, assim, possibilitando sua transformação.


Palavras-chave


Pesquisa. Realidade. Concreto Pensado. Conhecimento

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNO, M. Pesquisa na escola: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola, 2010.

FRIGOTTO, G. O enfoque da dialética materialista histórica na pesquisa educacional. In: FAZENDA, Ivani. (Org.). Metodologia da pesquisa educacional. São Paulo: Cortez, 2004.

GADOTTI. M. Pedagogia da práxis. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2010.

GATTI, B. A. A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Plano Editora, 2002. Série Pesquisa em Educação, v. 1.

GRILLO, M. et.al. Ensino e pesquisa com pesquisa em sala de aula. UNIrevista - Vol. 1, n.2, abril 2006. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2011.

IANNI, O. A construção da categoria. Revista HISTEDBR On-line Documento. Campinas, número especial, p. 397-416, abril, 2011a. Disponível em: . Acesso em 20 jun. 2012.

______. O ensino das ciências sociais no 1º e 2º graus. Caderno Cedes, Campinas, vol. 31, n. 85, p. 327-339, set.-dez. 2011b. Disponível em: . Acesso em 20 jun. 2012.

KOSIK, K. Dialética do concreto. Tradução Célia Neves e Alderico Toríbio. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

MARTINS, J. S. Projetos de pesquisa: estratégias de ensino e aprendizagem em sala de aula. Campinas: Armazém do Ipê (Autores Associados), 2005.

MARX, Karl. Manuscritos econômicos e filosóficos e outros textos escolhidos. 5. ed. Tradução de José Carlos Bruni et.al. São Paulo: Nova Cultural, 1991. (Os pensadores)

______. Posfácio da primeira edição de “O capital”. In: O capital: crítica da economia política. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

MARX, K., ENGELS, F. A ideologia alemã. Trad. de Luis Claudio de Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

MIRANDA, M. G. O professor pesquisador e sua pretensão de resolver a relação entre a teoria e a prática na formação de professores. In: ANDRÉ, Marli E. D. A. (Org.). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas: Papirus, 2001.

MORAES, R. et al. Pesquisa em sala de aula: fundamentos e pressupostos. In: MORAES, R.; LIMA, V. M. R. (Orgs.). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

NININ, M. O. G. Pesquisa na escola: que espaço é esse? O do conteúdo ou o do pensamento crítico? Educação em revista, v. 0 , n. 48, p. 15-35, dez., 2008. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2012.

RAMOS, M. G. Educar pela pesquisa é educar para a argumentação. In: MORAES, R.; LIMA, V. M. R. (Org.). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 18. ed. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2009.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 ISSN: 2358-1840

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported .