ATIVIDADES INCLUSIVAS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: ATITUDES DE ESTUDANTES SOBRE INCLUSÃO

  • Rafaela Dybas Voigt
  • Adriana Inês de Paula

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar o impacto de um programa de intervenção com
vivências de atividades físicas adaptadas, simulando deficiências sensoriais e motora, nas atitudes de alunas/
os sem deficiência sobre o processo de inclusão. Para tanto, 79 estudantes com idade variando entre 9 e 11
anos, de turmas de 5º ano de um colégio de ensino privado da cidade de Curitiba/PR participaram da pesquisa
que consistiu da aplicação de questionários pré e pós período de intervenção caracterizado pela vivência
de atividades motoras adaptadas, simulando as deficiências visual, auditiva e motora (“Futmão”, “Coelho sai da toca” e “Passa a bola”). Os dados obtidos apontaram que, para a maioria das variáveis investigadas,
houve impacto positivo em direção à inclusão, porém algumas respostas indicaram um direcionamento não
favoráveis, como por exemplo, se importar em deixar o jogo mais lento com a presença de um/a aluno com
deficiência. Ressaltamos que intervenção pedagógica utilizando práticas lúdicas de atividade física que simulam
a restrição sensorial e motora, pode contribuir para o desenvolvimento da empatia e assim despertar e manter
um ambiente escolar favorável à inclusão.

Publicado
2021-07-20