Aspectos diferenciais entre coesão e fragmentação nas obras de Elias e Guizot: uma análise para a educação da sociedade contemporânea

Resumo

O presente estudo tem como objetivo analisar os aspectos diferenciais entre elementos que constituem coesão e fragmentação na obra Os estabelecidos e os outsiders de Norbert Elias (2000) e História da Civilização na Europa de François Guizot (1907) e, a partir das análises feitas, tecer relações entre os aspectos diferenciais nas obras desses autores e a educação na sociedade contemporânea. Norbert Elias faz uma análise acerca do alto índice de delinquência juvenil na comunidade de Winston Parva e percebe que o fator de fragmentação entre os moradores do local e a coesão inflexível existente entre os antigos residentes do bairro, decorre na ausência de coesão entre os recém-chegados ao bairro, que não dispunham de relações sociais mais antigas para se defenderem das acusações dos estabelecidos. Em Guizot, verificamos que para a constituição de uma civilização, se fazia necessário a coesão da sociedade civil aliada ao desenvolvimento da vida individual. Compreendemos que na sociedade contemporânea, ocorre a valorização exacerbada das questões individuais, em detrimento das relações sociais coletivas, que visa o bem-estar comum para o desenvolvimento integrado da sociedade como um todo. Diante disso, consideramos que o estudo do entendimento que os homens faziam da sociedade de seu tempo, é primordial para compreendermos as questões que determinam as relações sociais do presente século. 

Biografia do Autor

Maria do Carmo Gonçalves da Silva Lima, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutoranda em Educação, pela Universidade Estadual de Maringá, docente da Rede Municipal de Ensino de Maringá, PR. Integrante do Laboratório de Estudo sobre o Império Português – LEIP/UEM.

Giovana Cardoso Versolatto, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutoranda e Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá. Linha de pesquisa História e Historiografia da Educação. Integrante do grupo de pesquisa LEIP/UEM.

Referências

BUENO, Sinésio. Dialética da diferença. Revista Educação. v. 36, n. 3, p. 325-331, set./dez. 2013. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/15530 Acesso em: 10 jan. 2020.

COSTA, Célio Juvenal; MENEZES, Sezinando Luís. Norbert Elias e a teoria dos processos civilizadores. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, nº 53, p. 238-262, out. 2013.

DELORS, Jaques. (Org.) Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. Lisboa: Edições Asa, 1996.

ELIAS, Norbert. Introdução à Sociologia. Braga - PT: Pax. 1980.

ELIAS, Norbert. Os estabelecidos e os outsiders. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

GUIZOT, François. História da Civilização na Europa. Lisboa: Parceria João Maria, 1907, v. 1.

HOBSBAWM, Eric. Sobre história. 2ª. Edição. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MARTINS, Ana Rita. A favela como um espaço da cidade. Revista Nova Escola, n. 223, junho, 2009, p. 61. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/2321/a-favela-como-um-espaco-da-cidade Acesso em: 10 jan. 2020.

OLIVEIRA, Terezinha. Por que retomar François Guizot. Revista Acta Scientiarum, v. 20, n. 1, p. 121-128, 1998.

WOOD, Ellen Meiksins. Introdução. In: WOOD, Ellen Meiksins; FOSTER, John Bellamy (Orgs). Em defesa da História: marxismo e o pós-modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1999.

Publicado
2021-06-30