Urbanização e repressão ao comportamento negro em Salvador no Século XIX

Resumo

Com o desenvolvimento das urbes e as leis de abolição no século XIX, o negro ganha as cidades brasileiras ocupando-se dos trabalhos referentes à infraestrutura urbana, assim como do trabalho doméstico. A exposição, cada vez maior, de suas manifestações culturais em vias públicas provocaria a perseguição do Estado e da elite branca, que argumentava a ausência de códigos de conduta e civilidade no comportamento destes indivíduos. A partir destas questões, pretendemos analisar a condição do negro na cidade de Salvador no século XIX, momento em que um processo de urbanização mais intenso desenvolve-se e, com ele, um discurso em torno de comportamentos e códigos sociais de conduta e civilidade. Para cumprir os intentos do estudo fizemos uso da pesquisa bibliográfico-documental, com inserção em alguns periódicos da Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional, que tratavam da presença negra nas cidades no século XIX. A leitura de Elias se fez de grande relevância na compreensão dos conceitos de civilização, de conduta, de regras de etiqueta, marcadamente utilizados nos textos dos periódicos para justificar a necessidade de expurgar os negros e suas manifestações dos espaços públicos das cidades. Procuramos entender o comportamento da elite branca brasileira estabelecida em relação aos negros e acreditamos que a relação entre os dois grupos esteve inserida em uma figuração estabelecidos/outsiders, no interior de um esforço civilizador, na capital baiana.

Biografia do Autor

Nilene Matos Trigueiro Marinho , Instituto Federal do Ceará - IFCE

Doutora e Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Graduação em Educação Física pela Universidade Regional do Cariri.  Atualmente é professora do curso de licenciatura em Educação Física, do Instituto Federal do Ceará (IFCE), campus Juazeiro do Norte.

Ricardo de Figueiredo Lucena, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Doutor e Mestre em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professor titular da Universidade Federal da Paraíba. É professor do Departamento de Fundamentação da Educação e do programa de pós-graduação em Educação do Centro de Educação/UFPB. 

Referências

A MARMOTA. Parte oficial. Edição 254. Bahia, quarta-feira, 4 jul. 1849. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=816485&PagFis=53&Pesq=batuques. Acesso em: 07 maio 2018.

BIASIN, Olívia. Olhares estrangeiros: imprecisões dos viajantes acerca dos oitocentos. In: A larga barra da Bahia: uma província no contexto do mundo. Salvador, EDUFBA, 2011. p. 18 – 55. Disponível em: http://books.scielo.org/id/wnm5w/pdf/moura-9788523212094-02.pdf. Acesso em 12 mai. 2018.

CHIAVENATO, Júlio José. O negro no Brasil. São Paulo: Cortez editora, 2012.

CORREIO OFICIAL: IN MEDIO POSITA VIRTUS. Ministerio da justiça. Edição nº 128, tomo 1., 23 nov. 1833. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=749443&PagFis=510&Pesq=capoeira. Acesso em: 28 nov. 1833.

COSTA. Ana de Lourdes Ribeiro da. Espaços negros: “cantos” e “lojas” em Salvador do século XIX. Caderno CRH. Suplemento. p. 18 – 34, 1991. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/2097/1/CadCRH-2007-391.pdf. Acesso em: 09 out. 2017.

CUNHA JÚNIOR, Henrique; RAMOS, Maria Estela Rocha (Org.). Espaço urbano e afrodescendência: estudos da espacialidade negra urbana para o debate das políticas públicas. Fortaleza: Edições UFC, 2007.

DECCA, Edgar Salvadori de. Apresentação. In: LUCENA, Ricardo Figueiredo. O esporte na cidade: aspectos do esforço civilizador brasileiro. Campinas, São Paulo: Editora Autores Associados, 2001.

ELIAS, Norbert. A civilização dos pais. Revista sociedade e estado. Vol. 27, n. 13, Brasília, set./dez. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922012000300003. Acesso em: 13 dez. 2017.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. Tradução Rui Jugmann; revisão e representação Renato Janine Ribeiro, 2 ed., Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2000.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: formação do Estado e civilização. Tradução da versão inglesa, Ruy Jugmann; revisão, apresentação e notas, Renato Janine Ribeiro, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1993, 2 v.

ELIAS, Norbert; DUNNING, Eric. A busca da excitação. Maria Manuela Almeida da Silva (Tradução) Lisboa: Difel, 1992. Disponível em: https://www.academia.edu/4894091/A_busca_da_excita%C3%A7%C3%A3o_norbert_elias_e_eric_dunning. Acesso em: 10 mar. 2016.

GOMES, Marco Aurélio A. de Filgueiras. Escravismo e cidade: notas sobre a ocupação da periferia de Salvador no século XIX. RUA. Revista de arquitetura e urbanismo. Salvador, v. 3, n.4/5, p. 7-17, 1990. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/1352/1/3102-7255-1-PB.pdf. Acesso em: 25 mai. 2017.

GAZETA DE NOTÍCIAS. Ano III, Edição nº 12, Bahia, 20 set. 1912. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=721026&PagFis=89&Pesq=autom%C3%B3vel. Acesso em: 08 jun. 2018.

LUCENA, Ricardo de Figueiredo. O esporte na cidade: aspectos do esforço civilizador brasileiro. Campinas, São Paulo: Autores Associados CBCE, 2001.

O CONSTITUCIONAL. O SR. F. P. B. Anno I, Maranhão, 18 abr. 1863. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=823317&pesq=negro&pasta=ano%20186. Acesso em: 11 mai. 2018.

O DESCOBRIDOR DE VERDADES. Edição nº 4, Bahia, 28 ag. 1822. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=749680&pesq=batuques&pasta=ano%20182 Acesso em: 10 mar. 2017.

O FAROL PAULISTANO (1827 - 1831). Edição nº 232, São Paulo, 5 ag. 1829. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=700169&pesq=capoeira&pasta=ano%20182. Acesso em: 26 jun. 2017.

O NOTICIADOR CATHOLICO (1849 - 1855). Edição n° 95, Bahia, 5 mai. 1855. Disponível: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=709786&pesq=batuques&pasta=ano%20185&pagfis=2288. Acesso em: 03 jan. 2021.

MATTOS, Hebe. Das cores do silêncio: os significados da liberdade no Sudeste escravista – Brasil, século XIX. 3º ed. Revisada, Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2013.

PINHEIRO, Eloísa Petti. Europa, França e Bahia: difusão e adaptação de modelos urbanos (Paris, Rio e Salvador) / Eloísa Petti Pinheiro. – 2 ed. – Salvador: EDUFBA, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/5377. Acesso em:

RELATÓRIO DOS TRABALHOS DO CONSELHO INTERINO DE GOVERNO (BA). Edição n° 1, Bahia, 1853, Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=130605&pesq=cadeiras%20de%20arruar&pasta=ano%20185&pagfis=1040. Acesso em: 03 jan. 2021.

SÁ, Tânia Regina Braga Torreão. Códigos de posturas municipais como instrumentos normativos de produção de novas lógicas territoriais: estudo de caso do centro histórico de Salvador. Percurso: sociedade, natureza e cultura. Curitiba, v. 1, nº 11, p. 237 – 284, 2010-1. Disponível em: http://revista.unicuritiba.edu.br/index.php/percurso/article/view/309. Acesso em: 12 abr. 2019.

SANTOS, Edmar Ferreira. O poder dos candomblés: perseguição e resistência no recôncavo da Bahia. Salvador: EDUFBA, 2009. Disponível em: http://static.scielo.org/scielobooks/nq/pdf/santos-9788523212100.pdf. Acesso em: 10 fev. 2017.

SILVA, Tomaz Tadeu (Org.); HALL, Stuart; WOODWARD, Kathrys. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, Rio de Janeiro: 2014.

SOUZA, Edilson Fernandes de. Entre o fogo e o vento: as práticas de batuque e o controle das emoções. Prefácio à segunda edição Terezinha Petrúcia Nóbrega. Prefácio à primeira edição Lourival Holanda; Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2005.

VIANA FILHO. O negro na Bahia: (um ensaio clássico sobre a escravidão). Prefácio a primeira edição Gilberto Freire, notas a terceira ed. Luís Henrique Dias Tavares. 4º ed., Salvador: EDUFBA, Fundação Gregório de Mattos, 2008.

Publicado
2021-06-30