Redes sociais, masculinidade hegemônica e violência: o machismo como elemento (des) civilizacional no Brasil

Resumo

O controle das pulsões e o declínio da violência são elementos apontados por Norbert Elias como aspectos civilizacionais e que a partir do modelo da escada podemos evocar a elevação ou a decadência de grupos humanos de um nível para outro, uma vez que, a curva civilizacional não é um contínuo ininterrupto e pode sofrer em diferentes fases do processo. Descivilização significa uma transformação em direção oposta, uma redução nítida da simpatia pelo outro ou por seu grupo. Sopesando que 58% dos brasileiros possuem, ao menos, um perfil ativo em redes sociais, pretendemos analisar postagens atuais em páginas da rede social Facebook™ que remetam ou considerem como ponto de partida: a) promoção de comportamento machista; b) incitação a violência de gênero; c) manutenção de estereótipos vinculados a virilidade, e d) menosprezo a mulheres e grupos LGBTQIA+. Se a dominação masculina, como afirma Pierre Bourdieu, está ancorada no inconsciente e as estruturas simbólicas que ratificam esse inconsciente androcêntrico sobrevivem em homens e mulheres ainda hoje, buscaremos, em diálogo, com a teoria eliasiana tratar quais os mecanismos e instituições que possibilitam a manutenção desses costumes que não contribuem para a equidade de gênero e quais figurações carecem maior atenção para o reforço do autocontrole e para a determinação de políticas públicas para a promoção da equidade de gênero e o combate da violência ocasionada por comportamentos vinculados a uma masculinidade tóxica.

Biografia do Autor

Marcio Jose Pereira, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutor em História pela Universidade Federal do Paraná. Professor do Departamento de História e do Mestrado Profissional em Ensino de História da Universidade Estadual de Maringá.

Luciane Cristina Gamas, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Formada em Pedagogia UNICESUMAR. Acadˆêmica do 4º Ano da Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Maringá. Professora de Ensino Infantil na Secretária de Educação de Sarandi / PR.

Referências

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina Trad. Maria Helena Kuhner. 14 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2017.

CONNELL, Robert W.; MESSERSCHMIDT, James W. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Revista Estudos Feministas, v. 21, n. 1, p. 241-282, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2013000100014&script=sci_arttext&tlng=pt Último acesso: 30 maio 2021

DUNNING, Eric; MURPHY, Patrick; WILLIAMS, John. A violência dos espectadores nos desafios de futebol: para uma explicação sociológica. In: ELIAS, Norbert & DUNNING, Eric. A busca da excitação. Trad. Maria Manuela Almeida e Silva. Lisboa: DIFEL, 1992.

DUNNING. Eric. O desporto como uma área masculina reservada: notas sobre os fundamentos sociais da identidade masculina e as suas transformações. In: ELIAS, Norbert & DUNNING, Eric. A busca da excitação. Trad. Maria Manuela Almeida e Silva. Lisboa: DIFEL, 1992.

ELIAS, Norbert & DUNNING, Eric. A busca da excitação. Trad. Maria Manuela Almeida e Silva. Lisboa: DIFEL, 1992.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador. Formação do Estado e Civilização. Trad. Ruy Jungmann. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1993, v.2.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1994.

ELIAS, Norbert & SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders. Sociologia das relações deo poder a partir de uma pequena comunidade. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2000.

ELIAS, Norbert. Introdução à sociologia. Lisboa: Edições 70, 2014.

ELIAS, Norbert. Sobre os seres humanos e suas emoções: um ensaio sob a perspectiva da sociologia dos processos. In: GEBARA, Ademir & WOUETRS, Cas. O controle das emoções. João Pessoa: Editora da UFPB, 2009.

FACEBOOK. Orgulho de ser hétero. Vantagens de ser homem. 25 de janeiro de 2016. Disponível em: https://www.facebook.com/orgulhoheterocomh Último acesso: 30 de maio de 2021.

HARGREAVES, Jennifer. Sex, Gender and the Body in Sport and Leisure: Has There Been a Civilizing Process? In: DUNNING, Eric & ROJEK, Chris. Sport and leisure in the civilizing process. Critique na Counter-Critique. London: Macmillan Academic and Professional Ltd, 1992.

GAY, Peter. O século de Schnitzler: a formação da cultura da classe média (1815-1914 Trad. S. Duarte. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GOUDSBLOM, Johan. A vergonha: uma dor social. In: GEBARA, Ademir & WOUETRS, Cas. O controle das emoções. João Pessoa: Editora da UFPB, 2009.

MONTESINOS, Rafael & MARTÍNEZ V, Griselda. Los usos sociológicos de Norbert Elias. Estudios sociológicos, Vol. 19, No. 57 (Sep. - Dec., 2001), México, pp. 823-842. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/40420691 Último acesso: 30 maio 2021.

PAECHTER, Carrie. Meninos e meninas: aprendendo sobre masculinidades e feminilidades. Tradução: Rita Terezinha Schmidt. Porto Alegre: Artmed, 2009.

PERROT, Michelle. Minha História das Mulheres. Trad. Anela M. S. Correa. 2ed. São Paulo: Contexto, 2015.

QUINTANEIRO, Tania. Processo civilizador, sociedade e indivíduo na teoria sociológica de Norbert Elias. Belo Horizonte: Argvmentum, 2010.

RODE, Renata. Homens pensam com a cabeça de baixo, afirmam especialistas. In: UOL Mulher Comportamento. Disponível em: https://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2010/03/25/homens-pensam-com-a-cabeca-de-baixo-afirmam-especialistas.htm Último acesso em: 11.mar.2021.

Publicado
2021-06-30