Mapeamento da produção científica veiculada em periódicos sobre a temática APAE (2000-2015)

  • João Henrique da Silva Doutorando em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Palavras-chave: Educação Especial, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, Análise bibliométrica.

Resumo

A presente pesquisa teve por objetivo analisar as produções científicas em formato de artigos veiculados em períodos sobre a temática Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). Trata-se de um estudo quali-quantitativo, de abordagem metodológica bibliométrica e de análise de conteúdo. Os procedimentos metodológicos foram desenvolvidos em três etapas que incluem a fase de preparação teórica e metodológica, de coleta e registro de dados, e de sistematização e análise dos resultados. Os resultados apontaram que 61 artigos publicados em 38 diferentes periódicos e elaborados por 171 autores, 178 contribuições, entre o período de 2000-2015. Foram identificadas 46 diferentes instituições, que prestam serviços de ensino concentradas nas regiões sul e sudeste do país. Constatou-se também que as temáticas se versam na área da Saúde e Educação. A produção acadêmica analisada apresenta diferentes objetivos e resultados obtidos sobre a APAE. O foco das pesquisas abrange temas relacionados à subjetividade humana, à relação família e instituições, à inclusão social e ao processo educacional das pessoas com deficiência. Os achados dos artigos desdobram os objetivos dos trabalhos, mostrando a relevância das ações desenvolvidas no interior das unidades apaeanas e as influencias do ambiente familiar e político. Portanto, reitera-se que a APAE é uma instituição filantrópica que procura desenvolver ações na área da saúde, educação e assistencial social, para as pessoas com deficiência. 

Biografia do Autor

João Henrique da Silva, Doutorando em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Doutorando em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Mestre em Educação pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Referências

BELLO, S.F. et. al. Indicadores bibliométricos da produção científica sobre transtornos de aprendizagem na base de dados SciELO. In: HAYASHI, M.C.P.I.; FARIA, L.I.L.; HAYASHI, C.R.M. (Org.). Bibliometria e cientometria: estudos temáticos. São Carlos: Pedro e João Editores, 2013. p. 195-205.

______; PIZZANI, L., HAYASHI, M.C.P.I. Descritores e suas interrelações: fonoaudiologia e educação especial. Distúrbios da Comunicação, São Paulo v. 22, n. 2, p.149-57. 2010.

BORGES SATO, D.T.; MAGALHÃES, I.; LOPES BATISTA JÚNIOR, J.R. Desdobramentos recentes da educação inclusiva no Brasil: discursos e práticas de letramento. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 12, n. 4, p. 699-724, out./dez. 2012.

BRASIL. Resolução CNE/CEB n. 4, de 02 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Brasília, DF: CNE/CEB, 2009.

______. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2008.

BRAUN, A.C.; CARLOTTO, M.S. Síndrome de Burnout: estudo comparativo entre professores do Ensino Especial e do Ensino Regular. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 125-133, jan./abr. 2014.

DOMINGUES, F. et al. Atividade de leitura na Educação Especial: uso da biblioteca escolar e brinquedoteca. Revista ACB, Florianópolis, v.11, n.1, p. 221-232, jan./jul. 2006.

FERRI, C.; LINHARES HOSTINS, R.C. Práticas de Seleção e Organização do Conhecimento nas Escolas Regulares e Especiais. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 33, n. 2, p. 231-251, jul./dez. 2008.

GELAIN, D.; RENE ORMEZZANO, G. Yoga, imaginário e teorias espiritualistas da educação: um estudo de caso. Revista do Centro de Educação, Santa Maria, v. 34, n. 3, p. 501-512, set./dez. 2009.

HAYASHI, M.C.P.I. Análise bibliométrica: leituras teóricas, procedimentos metodológicos e protocolo de coleta de dados. São Carlos, 2014. (mimeo).

MEDIANEIRA FRANZIN, S. et al. Formação de professores de Ciências Biológicas e a preocupação com as necessidades específicas na sala de aula. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 28, n. 5, p. 91-100, jan./abr. 2015.

MELETTI, S.M.F. Indicadores Educacionais sobre a Educação Especial no Brasil e no Paraná. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 39, n. 3, p. 789-809, jul./set. 2014.

MELO, D.C.F.; SILVA, J.H. As políticas públicas da educação especial e a FENAPAES sob a perspectiva gramsciana. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Rio Claro, v. 11, n. 1, p. 151-164. 2016.

MOURA, W.L. et al. Importância da prática esportiva como meio de inclusão social para pessoas com deficiência mental na cidade de Montes Claros – Motricidade, Portugal, v. 8, n. S2, p. 613-623. 2012.

MOURÃO, L.; SAMPAIO, S.; DUARTE, M.H. Colocação seletiva de pessoas com deficiência intelectual nas organizações: um estudo qualitativo. Organizações & Sociedade, Salvador, v.19 - n.61, p. 209-229, abr./jun. 2012.

PANTALEÃO ALVES, E.; SOBRINHO, R.C. Escolarização de alunos com deficiência e as inter-relações família, escola e gestores públicos da educação especial. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 27, n. 48, p. 171-184, jan./abr. 2014.

PEREIRA, M.A.; JUNIOR, A.F.; HAYASHI, M.C.P.I. Os Institutos Históricos e Geográficos no Brasil: estudo bibliométrico no banco de teses da CAPES. In: HAYASHI, M.C.P.I.; FARIA, L.I.L.; HAYASHI, C.R.M. (Org.). Bibliometria e cientometria: estudos temáticos. São Carlos: Pedro e João Editores, 2013. p. 229-246.

PEREIRA, D.M.R. et al. Educação Especial e o Bibliotecário: atuação em atividades de leitura para portadores de necessidades especiais. EXTENSIO – Revista Eletrônica de Extensão, Florianópolis, n. 6, p. 1-15. 2008.

PLETSCH, M.D. A escolarização de pessoas com deficiência intelectual no Brasil: da institucionalização às políticas de inclusão (1973-2013). Archivos Analíticos de Políticas Educativas, Estados Unidos, v. 22, n. 81, p. 1-25, ago. 2014.

PROCURADORIA JURÍDICA (FENAPAES). A Rede APAE no Brasil. Disponível em: <http://www.apaebrasil.org.br>. Acesso em: 11 jul. 2014.

ROSSATO, S.P.M.; LEONARDO, N.S.T. A queixa escolar na perspectiva de educadores da Educação Especial. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 15-23, jan./jun. 2012.

ROSSI-BARBOSA, L.A.R. Expectativa e Satisfação dos Pais ou Responsáveis dos Usuários da APAE Atendidos na Clínica de Pacientes Especiais do Curso de Odontologia da Unimontes-MG. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, Paraíba, v. 7, n. 1, p. 51- 58, jan./abr. 2007.

SACARDO, M.S. Estudo bibliométrico e epistemológico da produção científica em Educação Física na Região Centro-Oeste do Brasil. Tese (Doutorado em Educação Especial), Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.

SANTOS BOETTGER, A.R.; LOURENÇO, A.C.; CAPELLINI, V.L.M.F. O professor da Educação Especial e o processo de ensino-aprendizagem de alunos com autismo. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 26, n. 46, p. 385-400, maio/ago. 2013.

SCHIPPER, C.M.; WITZEL, D.G. Discurso e mídia: construção de concepções da pessoa com deficiência intelectual em propagandas. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 28, n. 52, p. 295-310, maio/ago. 2015.

SILVA, M.R. Análise bibliométrica da produção científica docente do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da UFSCar: 1998-2003. Dissertação (Mestrado em Educação Especial), Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

______; HAYASHI, C.R.M.; HAYASHI, M.C.P.I. Análise bibliométrica e cientométrica: desafios para especialistas que atuam no campo. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, USP, v. 2, p. 110-129. 2011.

SILVA, R.C.; HAYASHI, M.C.P.I. Aplicação da bibliometria na avaliação de periódicos científicos no campo da Educação Especial. In: HAYASHI, M.C.P.I.; MUGNAINI, R.; HAYASHI, C.R.M. (Org.). Bibliometria e cientometria: metodologias e aplicações. São Carlos: Pedro e João Editores, 2013. p. 149-161.

Publicado
2017-07-16
Seção
Artigos