UM NOVO OLHAR: A CRIANÇA COMO SUJEITO DE DIREITO NO CAMPO DA LEGISLAÇÃO E DOS DOCUMENTOS QUE REGEM A EDUCAÇÃO

renata KERR, Edelir Salomão GARCIA

Resumo


Este trabalho tem por objetivo analisar concepções históricas a cerca da criança como sujeito de direito, bem como relacionar as práticas educativas que se moldaram ao longo dos anos, a partir da década de 30 até 1990 após a promulgação da Constituição Federal (CF/88), onde o país acabou tomando novos rumos em questão legislação, direitos e deveres. Os inúmeros acontecimentos a partir do século XIX deram propulsão para o surgimento de algumas leis criadas a partir de manifestações, organizações populares, sindicais, e de pensadores que já lutavam nesse período por uma educação para todos, chamando à atenção da sociedade a reivindicar seus direitos legais, bem como, abrindo os olhos da sociedade em relação à criança das camadas populares que já se encontrara no mundo dos adultos, fora da escola em meio às péssimas condições de vida.


Palavras-chave


Infância. Educação. Constituição Federal.

Texto completo:

Sem título PDF

Referências


AZEVEDO, F. D. A Cultura Brasileira. 5. ed. Rev. e amp. Ed. Melhoramentos, USP, 1984.

BAZILIO, L. C.; KRAMER, S. Infância, educação e direitos humanos. São

Paulo: Cortez, 2003. p. 19-28.

BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Lei n 5.692. Brasília: MEC, 1971.

_____. Ministério da Educação e Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, v.1,2 e 3, 1998.

______. Lei Federal n° 8069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente). Disponível em: . Acesso em: 30 jul 2010.

_________. 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal. Disponível em: . Acesso em: 15 jun 2010.

CASSANHA, L. A. H. De Abrigo à Casa de Acolhimento: a visão dos Funcionários. 2011. 31 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia). Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Corumbá, 2011.

CURY, C. R. J. A educação infantil como direito. In: BRASIL, MINISTÉRIO DA

EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. Subsídios para Credenciamento e Funcionamento de Instituição Infantil.Brasilia: MEC/SEF/COEDI, V. 2. 1998.

CAMPOS. M. M. ROSEMBERG. F. FERREIRA. I.M. Creches e pré-escolas no Brasil. São Paulo: Cortez, 1993.

CRUZ, L., HILESHEIM, B.; GUARESCHI, N. Infância e Políticas Públicas: Um Olhar sobre as Práticas. Rev, Psicologia & Sociedade, 17 (3), p. 42-49, set-dez: 2005.

FREIRE, P. Educação e Mudança. Ed. Paz e Terra, R.J. 1979.

GOHN. M. G. Educação formal e o Educador Social. Revista de Ciências da Educação – UNISAL- Americanas. São Paulo. Ano X, n. 19, 2° Semestre 2008, p. 121-140.

KULHMANN JR. M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediações, 2001.

LIBERATI, W. D; DIAS, F. M. D. Trabalho Infantil. São Paulo: Malheiros Editores, 2006.

LUZ. I.R. Educação Infantil: direito reconhecido ou esquecido? Revista Linhas críticas, Brasília, v. 12, n. 22, p. 23-40, jan./jun. 2006.

MARCHIORI, A. F. O discurso da criança como sujeito de direitos: perspectivas para a educação física na infância. Revista eletrônica Zero-a-Seis nº 25 – jan./jun. 2012 – NUPEIN/CED/UFSC.

MARAFON, Danielle. Educação Infantil no Brasil: um percurso histórico entre as idéias e as políticas públicas para a infância. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação) Pontifícia Universidade Católica- PUC-PR/FATEB,São Paulo, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2014.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

MENDONÇA, S. R. As bases do desenvolvimento capitalista dependente: da industrialização restringida à internacionalização. In: LINHARES, Y.M (Org.). História Geral do Brasil. 9. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 1990.

NASCIMENTO, N. M. G. M. Adolescência com prazo de validade: um estudo da prática educativa em instituições de abrigo de Salvador. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Educação. 2005.

OLIVEIRA. Z. M. R. Educação infantil: fundamentos e métodos. Ed. Cortez, São Paulo, 2005.

PASSETI, E. Sociedade de Controle e abolição da punição. Perspec. vol.13 nº.3 São Paulo July/Sept. 1999.

QUINTEIRO, J. Infância e Educação no Brasil: um campo de estudos em construção. In: FARIA, A.L.G DEMARTINI, FABRI. Z. B; PRADO, P.D (Org.). Por uma cultura da infância: metodologias de pesquisa com crianças. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

RIZZINI, I. A institucionalização de crianças no Brasil: percurso histórico e desafios do presente. São Paulo: Loyola, EDPUC, 2004.

SAWAIA, B. As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

XAVIER, K. G. Impactos Sócio-econômicos do trabalho infantil e da educação na primeira infância no Brasil. São Paulo, FAAP, 2010, 51 p. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) Faculdade de Economia da Fundação Armando Álvares Penteado, S. P 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 ISSN: 2358-1840

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported .