Educação e emancipação para além da filosofia herbartiana: por uma escuta do não saber como parte constituinte do conhecimento na prática educativa

Rogério Rodrigues

Resumo


Este artigo propõe uma reflexão acerca da questão da emancipação do sujeito e dos processos formativos que possam romper com a hegemonia tradicionalismo das pedagogias modernas, que podem ser representadas nas proposições de Johann F. Herbart, que se pauta no conhecimento explicativo perante o saber como forma constituinte do conhecimento. Na modernidade, ocorre uma predominância em querer saber e uma resistência ao enigma do não saber que possa permitir fissuras no dogmatismo instituído em querer saber presentes nos processos formativos. Nesse caso, o objetivo dessa reflexão se concentra em questionar, no conjunto das práticas educativas, se o saber explicativo destitui o processo formativo como atividade investigativa do intelectual. A metodologia de investigação neste trabalho insere-se numa hermenêutica na leitura de autores que subsidiam a análise sobre a questão do sujeito emancipado na modernidade, baseia-se também em dados coletados em atividade de pesquisa de campo, realizada em duas unidades escolares. A principal conclusão seria que o educador deveria ampliar a discussão criticamente sobre o uso de diversas técnicas de ensino, no sentido de recusar qualquer prática educativa que possa subordinar as inteligências umas as outras, constituindo o embrutecimento dos sujeitos. Seria algo de fundamental importância discutir a formação profissional do professor como intelectual numa escuta do não saber como parte constituinte do conhecimento.


Palavras-chave


Educação. Emancipação. Prática Educativa. Conhecimento.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor e HORKHEIMER, Max. A Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro, Jorge Zahar. 1985.

ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Trad. Wolfgang Leo Maar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

BOURDIEU, Pierre & PASSERON, Jean Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Trad. Reynaldo Bairão. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1982.

BRASIL, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Disponível em: . Acesso em: 30 maio. 2018.

CHAUI, Marilena. A ideologia da competência. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

DELEUZE, G. & GUATTARI, F. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Trad. Ana Lúcia de Oliveira. Rio de Janeiro: Editora 34, 2014.

FREUD, Sigmund. Algumas reflexões sobre a psicologia do escolar (1914). In: ________. Obras Completas. v. XIII. Trad. Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1990a. p. 281-288.

GHIRALDELLI, Paulo. O que é pedagogia. São Paulo: Editora Brasiliense. 1987

GHIRALDELLI, Paulo. Educação Física Progressista: a pedagogia crítico-social dos conteúdos e a educação física brasileira.São Paulo: Edições Loyola, 1988.

HERBART, J. F. Pedagogia General: derivada del fin de la educación. Madrid: Ediciones de la Lectura Trad. L´orenzo Luzuriaga, 1806.

HERBART, J. F. A psicologia de Herbart, uma psicologia educacional. In: EBY, Frederick. História da Educação Moderna. Porto Alegre: Editora Globo, 1970.

JAPIASSU, Hilton. Psicanálise: ciência ou contraciência. Rio de Janeiro: Imago, 1998.

LAJONQUIÈRE, Leandro. A escolarização de crianças “com DGD”. In: Estilos Clínica, vol.2, n.3, p.116-129. 1997.

LAJONQUIÈRE, Leandro. Dos "erros" e em especial daquele de renunciar à educação: Notas sobre psicanálise e educação. In: Estilos Clínica, vol.2, n.2, p.27-43, 1997.

LAJONQUIÈRE, Leandro de. Infância e Ilusão (Psico) Pedagógicas: escritos de psicanálise e educação. Petrópolis: Vozes, 2009.

LARROSA, Jorge. Pedagogia Profana: danças, piruetas e mascaradas. Trad. Alfredo Veiga-Neto. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MILGRAM, Stanley. Obediência À Autoridade: uma visão experimental. Trad. Luiz Orlando Coutinho Lemos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. Trad. Lílian do Valle. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

RANCIÈRE, Jacques. Préfácio ao Le Philosophe et sés pauvres. In: Revista Rapsódia. Trad. PauloHenrique Fernandes Silveira. São Paulo (USP), N. 11, 2017. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rapsodia/article/view/143784/138428, acessado em: 07 jun. 2018.

RODRIGUES, Rogério. Educação e Psicanálise — As dinâmicas das práticas educativas e os mitos sobre as causas das dificuldades escolares: os problemas de aprendizagem. Projeto de Pesquisa Fapemig Universal. Itajubá: Fapemig. 2008.

ROGERS, Carl & ROSENBERG, Rachel. A pessoa como centro. São Paulo: EPU.Ed Universidade de São Paulo, 1977.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 ISSN: 2358-1840

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported .