Algumas compreensões sobre os primeiros anos da licenciatura em matemática a distância da UFMS

  • Ana Claudia Lemes de Morais Universidade Estadual de Mato Grosso - UNEMAT
  • Thiago Pedro Pinto UFMS

Resumo

Este texto retoma parte da pesquisa de Mestrado intitulada ‘Licenciatura em Matemática da UFMS: movimentos precursores e implantação de um curso a distância’ (Autor, 2017), na qual objetivamos investigar o processo de criação e implantação do curso nos seus anos iniciais. Contudo, nesse artigo apresentamos sumariamente como foi o caminhar dessa pesquisa, os usos e as forma que contribuíram para a sua elaboração, apontando as compreensões iniciais que auxiliaram na composição de uma versão para o início desse curso. Nesta pesquisa, desde os primeiros depoimentos, fomos levados a discussões que antecederam o início do curso e que, certamente, permitiram a sua existência, como: a urgência em formar professores, os cursos de licenciatura parcelada e os projetos de educação a distância que auxiliavam os professores no interior do estado; outros aspectos também emergiram destes depoimentos, como: a evasão, a forte presença de disciplinas “duras”, a falta de adequação dos editais, a forte carga horária presencial, a logística, a falta de um conselho próprio, os problemas com a tecnologia e as peculiaridades da matemática quando se trabalha na modalidade a distância. Estes apontamentos foram discutidos por nós por meio de uma narrativa ficcional na forma de “fórum de um ambiente virtual de aprendizagem”, como o Moodle. Esta pesquisa esteve ancorada no projeto do Grupo História da Educação Matemática em Pesquisa (HEMEP) que tem por objetivo contribuir com o mapeamento da formação de professores que ensinam matemática no país, atuando diretamente em Mato Grosso do Sul.

Referências

Castro-Almeida, S. P. N. de. (2015). Um lugar: muitas histórias – o processo de formação de professores de Matemática na primeira instituição de ensino superior da região de Montes Claros/ norte de Minas Gerais (1960-1990). Tese de Doutorado em Educação: Conhecimento e Inclusão Social: Universidade Federal de Minas Gerais. Retirado em 24 de abril de 2016, de: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/BUBD-A7HK59.

Cury, F. G. (2011). Uma história da formação de professores de matemática e das instituições formadoras do estado de Tocantins. Tese de Doutorado em Educação Matemática: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Retirado em 24 de abril de 2016, de: https://alsafi.ead.unesp.br/handle/11449/102115.

Faoro, T. C. T. (2014). A formação de professores de Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: um olhar sobre os anos iniciais da Licenciatura em Durados. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Retirado 24 de abril de 2016, de: http://hemep.blogspot.com/2014/06/a-formacao-de-professores-de-matematica.html.

Fernandes, D. N. (2011). Sobre a formação do professor de matemática no Maranhão: cartas para uma cartografia possível. Tese de Doutorado em Educação Matemática: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Retirado 24 de abril de 2016, de: https://alsafi.ead.unesp.br/handle/11449/102104.

Fernandes, F. S. (2014). A quinta história: composições da educação matemática como área de pesquisa. Tese de Doutorado em Educação Matemática: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Retirado 24 de abril de 2016, de: https://alsafi.ead.unesp.br/handle/11449/123819.

Garnica, A. V. M. (2007). Manual da História oral em educação matemática: outros usos, outros abusos. In Anais Seminário Nacional de História da Matemática. Guarapuava (PR) – SBHMat.

Gonzales, K. G. (2017). Formar professores que ensinam Matemática: uma história do movimento das Parceladas no Mato Grosso do Sul. Tese de Doutorado em Educação Matemática: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Retirado 12 de fevereiro de 2018, de: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/151327.

Macena, M. M. M. (2013) Sobre formação e prática de professores de Matemática: estudo a partir de relatos de professores, década de 1960, João Pessoa (PB). Tese de Doutorado em Educação Matemática: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Retirado 24 de abril de 2016, de: https://alsafi.ead.unesp.br/handle/11449/102121.

Martins - Salandim, M. E. (2012). A interiorização dos cursos de Matemática no estado de São Paulo: um exame da década de 1960. Tese de Doutorado em Educação Matemática: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Retirado 24 de abril de 2016, de: https://alsafi.ead.unesp.br/handle/11449/102107.

Morais, A. C. L. (2017). Licenciatura em Matemática da UFMS: movimentos precursores e implantação de um curso a distância. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Retirado em 24 de março de 2017. https://posgraduacao.ufms.br/portal/trabalhos/index/91.

Pinto, T. P. (2013). Projetos Minerva: caixa de jogos caleidoscópica. Tese de Doutorado em Educação Matemática: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Retirado 24 de abril de 2016, de: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/102043.

Souza, L. A. de. (2011). Trilhas na construção de versões históricas sobre um grupo escolar. Tese de Doutorado em Educação Matemática: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Retirado 24 de abril de 2016, de: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/102092.

Staniszewski, R. S. (2014) Uma investigação sobre o ensino da matemática nas escolas polonesas em São Mateus do Sul, Paraná. Dissertação de Mestrado em Educação em Ciências e em Matemática: Universidade Federal do Paraná. Retirado em 24 de abril de 2016, de: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/36024.

Publicado
2019-04-24
Seção
Sessões Coordenadas