Percepções do processo da criação do Curso e do Departamento de Computação através da Matemática na UFMS

  • Reinaldo Camargo Silva UFMS
  • Thiago Pedro Pinto UFMS

Resumo

Abordaremos nesse artigo um recorte da pesquisa em andamento que visa produzir uma versão histórica do processo de criação do Curso de Ciência da Computação e do Departamento Computação e Estatística da UFMS a partir do então Departamento de Matemática (DMT). Todas as instituições de ensino passam e passaram por processos históricos de constituição, que são marcados por diversas relações, mudanças e lutas. Na busca de produzir conhecimento a partir de processos históricos como estes, produziremos em nossa pesquisa narrativas sobre tais processos, pautadas em narrativas e documentos oficiais. Para isso entrevistaremos professores do atual Instituto de Matemática e da Faculdade de Computação (FACOM) da UFMS que participaram do processo de criação e desmembramento, do curso e do departamento, respectivamente. Utilizamos como referencial teórico-metodológico a História Oral, a partir de entrevistas com os professores da época, pois são fontes vivas do processo estudado. Além das narrativas, analisamos alguns documentos disponíveis nos departamentos de Matemática e Computação, que contem indícios da criação da FACOM. Com esses estudos, nosso intuito é entender as necessidades, motivações e dificuldades para a criação do curso/departamento.

Referências

ALBUQUERQUE JÚNIOR, D.M. de. História: a arte de inventar o passado – ensaios de teoria da história. 1. Ed. Bauru: Edusc, 2007.

FONSECA FILHO, Cléuzio. História da computação: O Caminho do Pensamento e da Tecnologia / Cléuzio Fonseca Filho. – Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007.

GARNICA, A. V. M. O escrito e o Oral: uma discussão inicial sobre os métodos da História. Revista Ciência & Educação, Bauru (SP), v. 05, n. 01, p. 27-35, 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v5n1/a04v5n1.pdf.

GARNICA, A. V. M. A História Oral como recurso para a pesquisa em Educação Matemática: um estudo do caso brasileiro. V CIBEM, Porto, Julho de 2005, 12 p.

GARNICA, A. V. M. . História Oral e Educação Matemática - um inventário. Revista Pesquisa Qualitativa, São Paulo (SP), v. 02, n. 01, p. 137-160, 2006. Disponível em:http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/MATEMATICA/Artigo_Vicente6.pdf.

GARNICA, A. V. M., FERNANDES, D. N. & SILVA, H. Entre a amnésia e a vontade de nada esquecer: notas sobre Regimes de Historicidade e História Oral. Bolema, Rio Claro, v. 25, n. 41, p.230-231, dez. 2011.

GATTAZ, A.C. Lapidando a fala bruta: a textualização em história oral, 2005. Disponível em: <http://gattaz-artigos.blogspot.com.br/2008/04/lapidando-fala-bruta-textualizao-em.html>. Acesso em: 14 jul. 2017.

GUEDES, T.R. Uma História Sobre a Criação e Extinção do Curso de Ciências com Habilitação em Matemática de Cassilândia –MS. XX EBRAPEM, Curitiba, 2016. Gd nº5, p.1-12.

LE GOFF, J. História e memória. tradução Bernardo Leitão ... [et al.]. Campinas: UNICAMP, 1990.

SOUZA, M. M. Uma história do Departamento de Matemática da Universidade de Brasília – UNB: 1962-1972. 2015. 229 f. Tese de Doutorado – Universidade Anhanguera, São Paulo, 2016.

ZANDOMENIGUI, R.A. Uma articulação entre fontes orais e escritas em um estudo sobre a Constituição do Curso de Graduação em Matemática da Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (UNIDERP/CESUP). XIII Encontro Nacional de História Oral, Porto Alegre, 2016. Anais. Porto Alegre: Associação Brasileira de História Oral, p.1-17.

Publicado
2019-04-25
Seção
Sessões Coordenadas