Interferências da indisciplina no currículo praticado no Ensino Fundamental

Flavio Fernando de Souza

Resumo


Constitui relato de uma investigação qualitativa, exploratória e analítica acerca das formas de interferência exercidas pela indisciplina sobre o currículo praticado no Ensino Fundamental, com base em estudos teóricos e na análise de conteúdo dos dados obtidos em campo. Destacam-se como referenciais teóricos as perspectivas da relação com o saber, segundo Charlot; do acontecimento pedagógico, conforme Meirieu; do currículo praticado, conforme Sacristán; e da indisciplina enquanto fenômeno de aprendizagem, segundo Garcia. Teve-se como objetivos: apreender os significados atribuídos à indisciplina; identificar as situações pedagógicas típicas sobre as quais a indisciplina costuma interferir; e, compreender as formas de interferência exercidas pela indisciplina sobre o currículo praticado e as alterações efetivadas pelo professor em sua prática em função disso. Conclui-se que a indisciplina estaria se constituindo enquanto força de resistência às práticas de ensino, às relações e às atividades de aprendizagem propostas e disponibilizadas pelos professores na escola. A modelagem produzida pelo professor sobre o currículo, a partir das interferências exercidas pela indisciplina, apresenta-se por meio de tentativas de implantar mudanças ou na manutenção das formas, rituais e estatutos que envolvem e estruturam estas práticas. Estes procedimentos, contudo, estariam constituindo formas de contenção da indisciplina, enquanto tentativas de restabelecer o controle sobre os alunos e de homogeneização da turma, não implicando em mudanças substantivas nas condições de ensino e aprendizagem, tampouco na qualidade das relações e interações que estabelecem com os alunos.


Palavras-chave


Educação. Ensino Fundamental. Currículo praticado. Indisciplina escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 2010.

CANÁRIO, R. A escola tem futuro? Das promessas às incertezas. Porto Alegre: Artmed, 2007.

CANÁRIO, R. O que é a escola? Um olhar sociológico. Porto: Porto Editora, 2005.

CHARLOT, B. Educação e globalização: uma tentativa de colocar ordem no debate. Sísifo – Revista de Ciências da Educação, Universidade de Lisboa, n. 4, p. 129-136, out./dez. 2007.

DOTTA, L. T. Representações sociais do ser professor. Campinas, SP: Editora Alínea, 2006.

DUBET, F. Quando o sociólogo quer saber o que é ser professor. Revista Brasileira de Educação. ANPED. São Paulo, mai./jun./jul./ago., n. 5, set./out./nov./dez., n. 6, p. 222-231, 1997.

GARCIA, J. As táticas de indisciplina dos rebeldes criativos. In: SEMINÁRIO DE INDISCIPLINA NA EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA, 7., 2011, Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR, 2011, p. 370-379.

GARCIA, J. Currículo e questões de indisciplina. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE 7., 2007, Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR, 2007, p. 717-727.

GARCIA, J. Escritos sobre o currículo escolar. São Paulo: Iglu, 2010.

MEIRIEU, P. A pedagogia entre o dizer e o fazer: a coragem de começar. Porto Alegre: Artmed, 2002.

MEIRIEU, P. Aprender... sim, mas como? 7. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

MEIRIEU, P. Carta a um jovem professor. Porto Alegre: Artmed, 2006.

MEIRIEU, P. O Cotidiano da escola e da sala de aula: o fazer e o compreender. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MOREIRA, A. F. B. A crise da teoria curricular crítica. In: COSTA, M. V. (Org.). O currículo nos limiares do contemporâneo. Rio de Janeiro: DP&A, 1998, p. 11-36.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SACRISTÁN, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SILVA, T. T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 ISSN: 2358-1840

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported .