Bibliotecas escolares e a não conservação dos acervos produzidos pela cultura escolar - Naviraí/MS (1986 – 2010)

  • Elaine Rodrigues Universidade Estadual de Maringá- UEM
  • Roseli Maria Rosa de Almeida Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: História da Educação. Patrimônio Educativo. Cultura escolar. Bibliotecas escolares.

Resumo

O artigo insere-se no debate acerca da cultura escolar e direciona sua análise para a existência de bibliotecas escolares e a constatação da não conservação dos acervos produzidos pela cultura escolar, no município de Naviraí, no Estado de Mato Grosso do Sul, averiguando o acesso dos alunos do ensino fundamental e médio ao acervo literário das bibliotecas e ainda a circulação das obras impressas e distribuídas pela extinta Fundação de assistência ao estudante - FAE e pelo Programa Nacional Biblioteca da Escola - PNBE, no período de 1986 a 2010. As fontes utilizadas são: livros tombo destinados ao registro das obras literárias; livros e/ou fichas de empréstimos; croquis elaborados com a disposição de móveis e materiais; obras literárias enviadas às bibliotecas pela FAE e por meio do PNBE. O trabalho tem como marco cronológico o ano de 1986, período de implantação da primeira biblioteca escolar no município, e 2010, ano de publicação da Lei nº 12.244 de 24 de maio, que dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do país. Roger Chartier e Michel de Certeau figuram como autores que amparam a análise. Os resultados apontam dificuldades de preservação dos materiais produzidos na escola. Essa ação remete a uma possível desconsideração da importância acerca da preservação da memória e história da educação, o que possibilita afirmar que a cultura escolar que predomina em alguns espaços é a da não valoração da biblioteca escolar como ambiente preponderante para a socialização do patrimônio cultural. 

Biografia do Autor

Roseli Maria Rosa de Almeida, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

ELAINE RODRIGUES

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá. Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Maringá. Doutorado em História e Sociedade pela UNESP ─ Universidade Estadual Paulista ─ Júlio de Mesquita Filho. Realizou, em 2015, Pós-Doutorado em História da Educação pela Universidade Federal de Uberlândia, sob a supervisão do Prof. Dr. Wenceslau Gonçalves Neto. Atualmente é professora Associada do Departamento de Fundamentos da Educação da Universidade Estadual de Maringá (PPE/UEM). Seus estudos estão focados na linha de pesquisa História e Historiografia da Educação, atuando principalmente nos temas: História da Educação Brasileira, com destaque para a Educação Paranaense; o Campo Disciplinar da História da Educação, suas relações com o ensino e a pesquisa; a Cultura Escolar e o ensino de História da Educação, a Imprensa especializada em educação e ensino como fonte, tema e objeto para a História da Educação e História da Infância.

Roseli Maria Rosa de Almeida é Licenciada em Pedagogia, Pós Graduada em Educação Infantil; Mestra em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UEM- Universidade Estadual de Maringá. Atualmente é Docente do Curso de Pedagogia da UFMS-CPNV e coordenadora do grupo de pesquisa GEPPETE.

 

 

Referências

ABREU, M. Percursos da leitura. In: ______(Org.). Leitura, História e história da leitura. Campinas: Mercado das letras/ALB/ FAPESP, 1999.

______. As variadas formas de ler. In: PAIVA, Aparecida; EVANGELISTA, G. P; VERSIANE, Z. (Org.). No fim do século: a diversidade - o jogo do livro infantil e juvenil. 2ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2003, p. 121-134.

BATTLES, M. A conturbada história das bibliotecas. Tradução de João Virgílio Gallerani Cuter. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2003.

BRITTO, L. P. L. Sociedade da cultura escrita, alfabetismo e participação. In: RIBEIRO, V.M (org.). Letramento no Brasil. São Paulo: Global Editora, 2003.

BOGDAN, R. C; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Portugal: Porto Editora, 1994.

BURKE, P. A nova história, seu passado e seu futuro. In: BURKE, Peter (Org.). A escrita da História: novas perspectivas. Trad. de Magda Lopes. São Paulo: Editora UNESP. 1992. Disponível em <http://etnohistoria.fflch.usp.br/sites/etnohistoria.fflch.usp.br/files/Burke_Nova_Historia.pdf> Acesso 20 jan. 2016.

CAVALLO, G.; CHARTIER, R. (Org.). História da leitura no mundo ocidental. São Paulo: Ática, 1998.

CHARTIER, A. M.; HEBRARD, J. Discursos sobre a leitura 1880-1980. São Paulo: Ática, 1995.

CHARTIER, R. O mundo como representação. Revista Estudos Avançados, São Paulo, v. 5, n.11, 1991a.

_______. As práticas da escrita. In: ARIÉS, P. & CHARTIER, R. (Org.). História da vida privada 3- Da Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Companhia da Letras, 1991b.

______. Do códice ao monitor: a trajetória do escrito. Revista Estudos Avançados, São Paulo, v. 08, n.21, 1994.

______. As revoluções da leitura no Ocidente. In: ABREU, M. (Org.). Leitura, história e história da leitura. Campinas, SP: Mercado das letras/ ALB/ FAPESP, 1999a.

______. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP/Imprensa Oficial do Estado, 1999b.

______; (Org.). Práticas da leitura. 2 ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2001a.

______. Cultura escrita, literatura e história: Conversas de Roger Chartier com Carlos Aguire Anaya, Jesús Anaya Rosique, Daniel Goldin e Antonio Saborit. Porto Alegre: ARTMED, 2001b.

______. Formas e sentido. Cultura escrita: entre distinção e apropriação, Campinas, SP: Mercado das Letras, 2003.

CHERVEL, A. A história das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, Porto Alegre, v.2, p.177-229, 1990.

FARIA, F. L. M. et al. A cultura escolar como categoria de análise e como campo de investigação na história da educação brasileira. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 139-159, 2004.

FOURQUIN, J. C. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 1993.

FRAGOSO, M. G. Biblioteca na escola. Revista ACB Biblioteconomia em Santa Catarina, Santa Catarina, v. 7, nº 1, 2002.

HÉBRARD, J. A. escolarização dos saberes elementares na época moderna. Teoria e Educação, Porto Alegre: RS, n. 2, p. 65-110, 1990.

________. Três figuras de jovens leitores: alfabetização e escolarização do ponto de vista da história cultural. In: ABREU, M. (Org.). Leitura, história e história da leitura. Campinas, SP: Mercado das letras/ALB, 1999.

________. As bibliotecas escolares - entre leitura pública e leitura escolar na França do II Império e da III República. Campinas, S.P: Mercado das Letras, 2009.

JULIA, D. A cultura escolar como objeto histórico. Tradução de Gizele de Souza. Revista Brasileira de História da Educação. N°1 jan./jun. 2001. Disponível em . Acesso 10 fev. 2016.

KLEBIS, C. E. O. Leitura e envolvimento: a escola, a biblioteca e o professor na construção das relações entre leitores e livros. Campinas: UNICAMP, 2006. 158 p. Dissertação (Mestrado), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

LACERDA, N. G. Desarmando as armadilhas da exclusão em leitura: o jaguar lambendo as patas. 15 p. 2007. Disponível em: Acesso em: 17 fev. 2013.

MILANESI, L. O que é biblioteca. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1985.

NUNES, C. Memória e História da Educação: entre práticas e representações. Disponível em Acesso 10 fev. 2016.

PESSANHA, E. C.; DANIEL, M. E.; MENEGAZZO, M. A. Da história das disciplinas escolares à história da cultura escolar: reflexões sobre um campo de pesquisa. Revista Brasileira de Educação. São Paulo, nº 27, p. 57-69. 2004.

SILVA, F. C. T. Cultura escolar: quadro conceitual e possibilidades de pesquisa. Educar, Curitiba: Editora UFPR, 2006. p. 201-216.

SOARES, M. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, A;

BRANDÃO, H; MACHADO, M. Z. V. (Org.). A escolarização da leitura literária. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 17-48.

Publicado
2017-12-04
Seção
Artigos