A performance da Folha de São Paulo na cobertura das manifestações de 15 de março e 12 de abril de 2015

Ana Maria da Conceição Veloso, Fabíola Mendonça de Vasconcelos, Laís Cristine Ferreira Cardoso

Resumo


Este artigo visa analisar a cobertura realizada pela Folha de S. Paulo sobre as manifestações de rua ocorridas no Brasil nos dias 15 de março e 12 de abril de 2015. Lideradas pelo Movimento Brasil Livre e Vem Pra Rua, tais atividades tiveram como principais bandeiras o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Utilizamos como aporte teórico a Economia Política da Comunicação e as Indústrias Culturais, sob a ótica de autores como Mosco (2010), Wasco (2006), Rebouças (2005) e Moraes (2008). O artigo faz um estudo de caso descritivo e interpretativo, por meio da análise quantitativa e qualitativa dos espaços que apresentam a linha editorial do jornal: capas, editoriais e colunas políticas. A partir da análise de conteúdo, é possível afirmar que a Folha de S. Paulo contribuiu para estimular as manifestações.


Palavras-chave


Política. Impeachment. Dilma Rousseff. Folha de S. Paulo. Manifestações.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. & HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. 1. ed. Brasil: Zahar, [1947(1985)].

ALVES, Cleide. Jornais apoiam impeachment de Dilma? Disponível em Acesso em 29 ago. 2017.

ARAÚJO, W. A imprensa como partido político. 2010. Disponível em Acesso em 18 jul 2016

AZEVEDO, R. Trabalhadores sem partido, uni-vos!. 2015a. Disponível em < http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/215350-trabalhadores-sem-partido-uni-vos.shtml > Acesso em 17 jul 2015.

AZEVEDO, R. O domingo e a agonia do PT. 2015b. Disponível em < http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/211691-o-domingo-e-a-agonia-do-pt.shtml > Acesso em 20 out 2015

BAUER, Martin. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In.: BAUER, Martin; GASKELL, George (ed). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 2ed. Ptrópolis: Vozes, 2003, p. 189-217

BOLAÑO, César. Indústria cultural: Informação e capitalismo. São Paulo: Editora Polis, 2000.

BOURDIEU, P. Sobre Televisão. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

_____. A Distinção – Crítica Social do Julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2013.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 8ed. São Paulo: Cortez, 2006.

DANTAS, Marcos. A lógica do capital informação: a fragmentação dos monopólios e a monopolização dos fragmentos num mundo de comunicações globais. Rio de janeiro: Contraponto, 2002.

DIAP. Radiografia do Novo Congresso – Legislatura 2015-2016. Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). Brasília, 2014. Disponível em < http://www.diap.org.br/index.php/publicacoes/viewcategory/41 > Acesso em 19 nov 2016.

FADUL, A; REBOUÇAS, E. Por uma perspectiva metodológica para os estudos dos sistemas e grupos de mídia: o caso do Nordeste brasileiro como referência. XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro. Anais... São Paulo: Intercom. CD-ROM, 2005.

GASPARI, H. O novo mito dos movimentos. 2015. Disponível em < http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/216010-o-novo-mito-dos-movimentos.shtml > Acesso em 06 jun 2016.

MAGALHÃES, V. O risco da renúncia de fato. 09 abr 2015. Disponível em < http://www1.folha.uol.com.br/colunas/veramagalhaes/2015/04/1614141-o-risco-da-renuncia-de-fato.shtml >

MELO, R. Cadeia da ilegalidade. 13 abr 2015. Disponível em < http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/215797-cadeia-da-ilegalidade.shtml > Acesso em 06 jun 2016.

MIÈGE, B. La Pensée communicationnelle. Grenoble: Presses universitaires de Grenoble, 1996.

MIÈGE, B. O Pensamento comunicacional. Petrópolis: Vozes, 2000.

MOSCO, V. The Political Economy of Communication. (2ª ed.). London: Sage Publications, 2010.

MORAES, D. Hegemonia cultural, comunicação e poder: notas sobre a contribuição gramsciana. In Brittos, V. (Org). Economia política da comunicação: Estratégias e desafios no capitalismo global (pp. 17-28). São Leopoldo, Rio Grande do Sul: Editora Unisinos, 2008.

MURDOCK, G. Transformações continentais: capitalismo, comunicação e mudança na Europa. In: SOUSA, H. (Org.). Economia política da comunicação e dos media. Porto: Porto Editora, 2006, p. 13 -28.

NEVES, A. Cem dias. 13 abr 2015. Disponível em < http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/215771-100-dias.shtml > Acesso em 06 jun 2016.

SACCHITIELLO, Bárbara. Circulação dos cinco grandes jornais cresce. Meio & Mensagem. Disponível em Acesso em 27 jul 2015, às 22h.

SOUZA, J. Ralé Brasileira – quem é e como vive. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

STAKE. R. E. Case studies. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (ed.) Handbook of qualitative research. London: Sage, 2000. p. 435-454.

UNESCO. Cultural industries: a challenge for the future of culture. Paris: UNESCO, 1982.

WASKO, J. Estudando a Economia Política dos Media e da Informação. In: Souza, H. (Org). Comunicação, Economia e Poder. (pp. 29-53). Portugal: Porto Editora, 2006.

YIN, Robert. Estudo de caso - planejamento e métodos. São Paulo: Bookman, 2001.

ed.

Zallo, R. Economía de la comunicación y la cultura. Madrid: Ediciones Akal, 1988.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 ISSN: 2358-1840

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported .