O processo de desenvolvimento do erotismo: Max Weber, Norbert Elias e as emoções

Resumo

O pensamento de Max Weber (1864-1920) e Norbert Elias (1897-1990) possuem uma série de afinidades que já foram exploradas por diversos trabalhos nas últimas décadas, como, por exemplo: a relação entre processo de racionalização e processo civilizador; a relevância da interpretação histórica em suas perspectivas; a busca pela objetividade e pela cientificidade e a relação entre a disciplina e o controle do comportamento humano como chave da mudança social. O respectivo estudo se insere dentro deste debate maior e se distingue do que até agora foi produzido pela escolha do erotismo como objeto de observação e comparação na obra de ambos, creio que seria possível, por meio deste trabalho, salientar e ampliar a discussão ao entorno do esboço de desenvolvimento genético da erótica proposto por Max Weber e discutido – enquanto desenvolvimento histórico – durante várias páginas do processo civilizador de Elias. Além disso, trataremos os dois constructos teóricos como socialmente situados, isto é, interpretaremos como expressões históricas que representam um discurso sociológico específico sobre o erotismo e a sexualidade.

Biografia do Autor

Caio César Pedron, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Doutorando em Sociologia pelo PPGS da Universidade Estadual de Campinas. Tem como objeto de estudo a teoria social clássica, com ênfase nas seguintes sociologias especiais: histórica, econômica, da religião e do amor. E-mail para contanto: caiopedron99@gmail.com.

Referências

BERICAT ALASTUEY, E. Max Weber o el enigma emocional del origen del capitalismo. Reis: Revista Española de Investigaciones Sociológicas, 95, 9-36.2001.

ELIAS, Norbert. Norbert Elias por ele Mesmo. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.a.

ELIAS, Nobert. A sociedade de corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.c. E-BOOK.

ELIAS, Nobert. A solidão dos moribundos. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.b. E-BOOK.

ELIAS, Norbert. Introdução à sociologia. Tradução de Maria Luísa Ribeiro Ferreira. Lisboa: Edições 70, 2008.

ELIAS, Nobert. O processo civilizador 1: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Zahar, 1990. E-BOOK.

ELIAS, Nobert. O processo civilizador 2: formação do estado e civilização. Rio de Janeiro: Zahar, 1993. E-BOOK.

Fragmentado. Direção de M. Night Shyamalan. EUA: Universal Pictures. 2017.

HONIGSHEIN, Paul. On Max Weber. New York, NY: Free, 2017. Ebook Kindle.

JAMESON, Fredric. “The Vanishing Mediator: Narrative Structure in Max Weber” New German Critique, n. 1, 1973, p. 52–89. JSTOR, www.jstor.org/stable/487630 Accesso em: 20 jan. 2021.

LANDINI, Tatiana Savoia. "Horror, honra e direitos. Violência sexual contra crianças e adolescentes no século XX. 2005. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

MONTIEL, Francisco Gil-Villegas. Max Weber y la guerra académica de los cien años: história de las ciencias sociales en el siglo XX. México: Fondo de la Cultura Económica, 2015. E-BOOK.

PEDRON, C. C. Salvação intramundana pela perversão? Sobre a possibilidade emancipatória através da esfera erótica de Max Weber in: QUERIDO, F.M. (et al.). Teorias Críticas entre passado e presente, Coleção Ideias; IFCH, 2019.a.

PREVIATTI, Débora. Weber em Elias em "A sociedade de corte" e "O processo civilizador". 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) – Universidade Federal de Florianópolis, Santa Catarina.

SENNETT, Richard. O declínio do homem público: As tiranias da intimidade. Record,2015 (e-book).

SIMMEL, Georg. Algumas “Reflexões sobre a Prostituição no Presente e no Futuro” in: SIMMEL, Georg. Filosofia do amor. 3. ed. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2006.

SCHLUCHTER, Wolfgang. Acción, orden y cultura: Estudios para um programa de investigación em conexión con Max Weber. Buenos Aires: Prometeo Libros, 2008.

SCHLUCHTER, Wolfgang. Paradoxos da modernidade: cultura e conduta na teoria de Max Weber. São Paulo, SP: Editora UNESP, 2011.

SOMBART, WERNER. Lujo y Capitalismo. Tradução de J.A. Garcia Martinez. Guilherme Dávalos Editor, 1958.

TENBRUCK, Friedrich H., and Max Weber. “The Problem of Thematic Unity in the Works of Max Weber.” The British Journal of Sociology, v. 31, n. 3, 1980, p. 316–351. Disponível em: www.jstor.org/stable/589370 Acesso em: 18 abr. 2019.

WEBER, Marianne, and E. S. “ACADEMIC CONVIVIALITY” Minerva, v. 15, n. 2, 1977, p. 214–246, 1977.

WEBER, Marianne. Excerpt from “Authority and Autonomy in Marriage. In: Lengermann, Patricia Madoo; Niebrugge, Gillian. The Women Founders: Sociology and Social Theory 1830–1930. New York: Waveland Press.1998. Edição do Kindle.

WEBER, Max. Ética Econômica das Religiões Mundiais: Ensaios comparados de sociologia da religião. Vozes, 2016.

Publicado
2021-06-30