Narrativas no Trabalho com História Oral

  • Luzia Aparecida de Souza Docente da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Campus de Campo Grande

Resumo

Este texto busca articular ideias em torno da temática Narrativas e História da Educação Matemática, proposta aqui como Mesa Redonda, explicitando as potencialidades da narrativa no trabalho com história oral e como estas podem ser articuladas a uma postura historiográfica. A história oral é discutida enquanto metodologia de pesquisa mobilizada na História da Educação Matemática para a construção de narrativas enquanto fontes históricas. A potencialidade das
narrativas para compreensão das singularidades de professores de Matemática é ressaltada, assim como sua relevância como meio de construção do narrador frente ao pesquisador. O texto busca, por fim, articular a postura historiográfica evidenciada ao exercício de busca pelas singularidades que caracterizam as narrativas, assinalando para a análise narrativa como um exercício analítico fundamental às pesquisas em Educação Matemática.

Referências

ALBUQUERQUE JUNIOR, D. M. de. Em Estado de Palavra: quando a história não consegue que se meta fora a literatura. In. FLORES, M. B. R.; PIAZZA, M. de F. F.(Orgs). História e arte: movimentos artísticos e correntes intelectuais. Campinas, São Paulo: Mercado de Letras, 2011. p. 249-261.

BLOCH, M. Apologia da História ou o Ofício do Historiador. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BOLÍVAR, A. B. “¿De nobis ipsis silemus?”: Epistemología de la investigación biográficonarrativa en educación. Revista Electrónica de Investigación Educativa. v.4, n. 1. p. 41-62, 2002.

BOLÍVAR, A. Dimensiones epistemológicas y metodológicas de La investigación (auto)biográfica. In: ABRAHAO, M. H. (Org). Pesquisa (auto)biográfica: lugares, trajetos e desafios. V Congresso Internacional de Pesquisa (Auto) Biográfica (V CIPA). Porto Alegre: PUCRS, v.1, 2012.

CURY, F. G. Uma História da Formação de Professores de Matemática e das Instituições Formadoras do Estado do Tocantins. Tese (Doutorado em Educação Matemática). 290 f. Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2011.

JOVCHELOVITCH, S.; BAUER, M. W. Entrevista Narrativa. In: BAUER, M. W. ; GASKELL, G. (ed.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução: Pedrinho A. Guareschi. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002, p. 90-113.

LARROSA, J. Leitura, experiência e formação – uma entrevista com Jorge Larrosa. In: COSTA, M. V. (org.); VEIGA-NETO, A.; LARROSA, J.; GRUN, M.; FISCHER, R. M. B.; SILVEIRA, R. M. H.; CORAZZA, S. M. Caminhos investigativos I: novos olhares na pesquisa em educação. – 3. ed. Rio de Janeiro: Lamparina editora, 2007, p. 130-156.

MIGUEL, A. e MIORIM, M. A. História da Matemática: uma prática social de investigação em construção. Educação em Revista, Belo Horizonte, n.36, 2002. p.177-203.

SOUZA, L. A. de. Trilhas na construção de versões históricas sobre um Grupo Escolar. 2011. 420 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2011.

SOUZA, L. A. História oral e Educação Matemática: um estudo, um grupo, uma compreensão a partir de várias versões. 2006. 314 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2006.

Publicado
2022-01-06
Como Citar
Souza, L. A. de. (2022). Narrativas no Trabalho com História Oral . Anais Do ENAPHEM - Encontro Nacional De Pesquisa Em História Da Educação Matemática - ISSN 2596-3228, (2), 71-78. Recuperado de https://periodicos.ufms.br/index.php/ENAPHEM/article/view/15108
Seção
Mesas redondas - submetidas