Interface entre educação e saúde no suporte à inclusão escolar: uma revisão da produção científica publicada entre 2008 e 2015

  • Samuel Vinente Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Shirley Alves Godoy Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Sarah Raquel Almeida Lins UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS (UFSCAR)
Palavras-chave: Educação Especial. Saúde. Inclusão Escolar. Produção Científica

Resumo

A literatura aponta a importância da articulação entre a educação e a saúde em vistas à promoção da inclusão escolar da população alvo da educação especial. Porém, pouco tem sido produzido sobre temática tão relevante. O presente estudo teve o objetivo de identificar e caracterizar a produção científica de revistas da área de educação especial que tenham como objeto de estudo a interface entre a educação especial e a saúde como suporte à inclusão escolar. Trata-se de um estudo de revisão de literatura em periódicos da área de Educação Especial disponíveis na rede mundial de computadores, publicados entre 2008 e 2015, identificados por meio da utilização de descritores pré-definidos. Para organização dos dados coletados foi utilizado um protocolo de registro e informações. Os dados foram analisados a partir de Bordgan e Biklen (1994) com base nas categorias de análise. Os resultados revelaram a interface entre a educação e diversas áreas da saúde, tais como, Psicologia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Fisioterapia e Medicina. O que reforçou a importância da participação destes profissionais no processo de inclusão escolar na atuação conjunta com os profissionais da educação.

Biografia do Autor

Samuel Vinente, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial (PPGEEs) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Graduado em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Amazonas (FAPEAM).

Shirley Alves Godoy, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Especialista em Educação Especial pelo Centro de Estudos Superiores de Londrina. Graduada em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Jandaia do Sul.

Sarah Raquel Almeida Lins, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS (UFSCAR)

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial (PPGEEs) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Mestre em Terapia Ocupacional pela UFSCar. Bacharel em Terapia Ocupacional. Especialista em Ambiente Organizacional, Saúde e Ergonomia.

Referências

AGUIAR, J.S; DUARTE, E. Educação inclusiva: um estudo na área da educação física. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 11, n. 2, p. 223-240, 2005.

ARAÚJO, Rita de Cássia Tibério; MANZINI, Eduardo José; FIORINI, Maria Luiza Salzani. Educação inclusiva e gerenciamento de serviços com ações na interface entre a área da saúde e a da educação: uma reflexão na perspectiva operacional. Revista Cocar, v. 8, n. 16, p. 13-23, 2015.

ASSIS, Caroline Penteado; MARTINEZ, Claudia Maria Simões. Alunos com mielomeningocele: uma discussão sobre sua participação no contexto escolar. Revista Educação Especial, v. 24, n. 41, p. 391-408, 2011.

BALEOTTI, Luciana Ramos; DOS SANTOS, Ludimila Aparecida; ZAFANI, Mariana Dutra. Avaliação de habilidades motoras de uma criança com paralisia cerebral incluída em contexto escolar regular. Revista Educação Especial, v. 1, n. 1, p. 147-162, 2014.

BODGAN, R. C; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Portugal: Porto Editora, 1994.

BRAGA, T. M. S. BOMFIM, D. P; SABBAG FILHO, D. Necessidades especiais de escolares com diabetes mellitus tipo 1 identificadas por familiares. Revista Brasileira de Educação Especial. v. 18, n. 3, Marília, Jul/Set. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382012000300006> Acesso em: jul. 2015.

BRASIL. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001: aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em: < https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm> Acesso em: 1 ago. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação – PNE. Brasília, DF: MEC, 2014

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm>. Acesso em: ago. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/ SEED, 2008.

BRASIL. Resolução CNE/ CEB nº 2, de 11 de setembro de 2001. Institui diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Disponível em: . Acesso em: jul. 2015.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Sistema Web Qualis. Disponível em: <http://qualis.capes.gov.br/webqualis/publico/pesquisaPublicaClassificacao.seam?conversationPropagation=begin>. Acesso em 10 jul. 2015.

CARDOSO, C. S. Aspectos Históricos da Educação Especial: da exclusão a inclusão uma longa caminhada. Educação, n. 49, p. 137-144, 2003.

CARDOSO, P. T.; MATSUKURA, T. S. Práticas e perspectivas. Revista Terapia Ocupacional. Univ. São Paulo, v. 23, n. 1, p. 7-15, jan./abr. 2012. Acesso em: jul. 2015.

DELOU, Cristina Maria Carvalho. O funcionamento do Programa de Atendimento a Alunos com Altas Habilidades/Superdotação (PAAA/SD-RJ). Revista Educação Especial. v. 27, n. 50, p. 675-688, set. dez, 2014.

FIORINI, Bianca Sampaio; ARAÚJO, Rita de Cássia Tibério. Apoio de Terapia Ocupacional para a participação escolar de criança com artrogripose múltipla congênita: um estudo de caso. Revista Educação Especial, v. 1, n. 1, p. 207-238, 2014.

FRANCO, M. A. M; CARVALHO, A. M; GUERRA, L. B. Discurso médico e discurso pedagógico: interfaces e suas implicações para a prática pedagógica. Revista Brasileira de Educação Especial. v. 16 n. 3, Marília, Sept./Dec., 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-65382010000300010&script=sci_arttext>. Acesso em: jul. 2015.

FRANCO, Marco Antonio Melo; GUERRA, Leonor Bezerra. O ensino e a aprendizagem da criança com paralisia cerebral: ações pedagógicas possíveis no processo de alfabetização. Revista Educação Especial. v. 28, n. 52, p. 311-324, mai./ago, 2015.

GENNARO, Lisandrea Rodrigues Menegasso; DE ALCÂNTARA GIL, Maria Stella Coutinho. Análise teórica de itens de uma escala americana para avaliação do atendimento em creches inclusivas brasileiras. Revista Educação Especial, v. 25, n. 44, p. 531-544, 2012.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, v. 5, p. 61, 2002.

GIROTO, Cláudia Regina Mosca; CASTRO, Rosane Michelli de. A formação de professores para a educação Inclusiva: alguns aspectos de um trabalho colaborativo entre pesquisadores e professores da Educação Infantil. Revista Educação Especial, v. 24, n. 41, p. 441-452, 2011. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/115417>.

LIEGEL, L. A. GOGOLA, M. M. R; NOHAMA, P. Layout de teclado para uma prancha de comunicação alternativa e ampliada. Revista Brasileira de Educação Especial. v.14 n.3, Marília, set./dez., 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S1413-65382008000300010&lng=pt&nrm=isso>. Acesso em: jul. 2015.

MACHADO, Andréa Carla; BELLO, Suzelei Faria; ALMEIDA, Maria Amélia. O papel consultivo do fonoaudiólogo: algumas reflexões sobre a consultoria colaborativa na escola regular. Revista Educação Especial. Santa maria, v. 25, n. 43, p. 233-248, mai./ago, 2012.

MELO, F. R. L. V; PEREIRA, A. P. M. Inclusão escolar do aluno com deficiência física: a visão dos professores acerca da colaboração do fisioterapeuta. Revista Brasileira de Educação Especial. v. 19, n. 1, jan/mar, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-65382013000100007&script=sci_arttext>. Acesso em: jul. 2015.

MELO, Francisco Ricardo Lins Vieira de; Ana Paula Medeiros. O cuidar do aluno com deficiência física na educação infantil sob a ótica das professoras. Revista Brasileira de Educação Especial. v.19 n.1, Marília, Jan./Mar. 2013

MENDES, E. G. A pesquisa sobre inclusão escolar no Brasil: será que estamos caminhando de fato na busca de soluções para os problemas? In: JESUS, D. M; BAPTISTA, C. R; VICTOR, S. L. (Org.) Pesquisa e Educação Especial: mapeando produções. Vitória: EDUFES, 2006b, 155-176.

MENDES, E. G. Perspectivas para a construção da escola inclusiva no Brasil. In: PALHARES, M.; MARINS, S. (Orgs.). Escola inclusiva. São Carlos, SP: EdUFSCar, 2002. p. 61-85.

OLIVEIRA, R.T. O; ZAMBOROSKI, A. P; OLIVEIRA, J. P. O; BOUGO, G. C. Assessoria fonoaudiológica na educação infantil. Revista Conexão da Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG. v. 6, nº 1, 2010. Disponível em: <http://www.eventos.uepg.br/ojs2/index.php/conexao/article/ view/3750>. Acesso em: jul. 2015.

PEREIRA, Luciana Cátia Loose; GRAVE, Magali Quevedo. Encaminhamento de crianças com necessidades educacionais especiais em idade de estimulação precoce a escolas de Educação Infantil de um município de médio porte do Vale dos Sinos. Revista Educação Especial, v. 25, n. 42, p. 101-113, 2012.

PINTOR, Nelma Alves Marques; LLERENA JR, Juan Clinton; COSTA, Valdelúcia Alves. Educação e saúde: um diálogo necessário às políticas de atenção integral para as pessoas com deficiência. Revista Educação Especial, v. 25, n. 43, p. 203-216, 2012.

RBEE. Revista Brasileira de Educação Especial. Folha de Rosto. v. 1, n. 1, 1992.

SALDANHA, Gilda Maria Maia Martins; SIMOES, Regina Rovigati. Educação escolar hospitalar: o que mostram as pesquisas. Revista Brasileira de Educação Especial. v. 19, n. 3, Marília, p. 447-464, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/cgi-bin/wxis.exe/iah/?IsisScript=iah/iah.xis&base=article%5Edlibrary&format=iso.pft&lang=p&nextAction=lnk&indexSearch=AU&exprSearch> Acesso em: jul. 2015.

SANTOS, Marcelli Evans Telles dos; LARA, Simone; FOLMER, Vanderlei. Inclusão escolar: possíveis contribuições da fisioterapia sob a ótica de professores. Revista Educação Especial. v. 28, n. 51, p. 67-82, jan. abr., 2015.

SARAIVA, L. L. O.; MELO, F. R. L. V. de. Avaliação e participação do fisioterapeuta na prescrição do mobiliário escolar utilizado por alunos com paralisia cerebral em escolas estaduais públicas da rede regular de ensino. Revista Brasileira de Educação Especial. v.17, n.2, Marília, Mai./Ago, 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-65382011000200006&script=sci_arttext>. Acesso em: jul. 2015.

SIQUEIRA, Maria das Graças Soares; AGUILLERA, Fernanda. Modelos e diretrizes para uma educação inclusiva: revisão de literatura. Revista Educação Especial. v. 28, n. 52, p. 281-294, mai./ago, 2015.

SPILLER, M. G; BRACCIALLI, L. M. P. Opinião de profissionais da educação e da saúde sobre o uso da prancha ortostática para o aluno com paralisia cerebral. Revista Brasileira de Educação Especial. v. 20, n.2. Marília, Abr./Jun, 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-65382014000200009&script=sci_arttext>. Acesso em: jul. 2015. Marília Out./Dez. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php? script=sci _arttext &pid=S1413-65382013000400010>. Acesso em: jul. 2015.

ZANNI, Karina Piccin; MATSUKURA, Thelma Simões; MAIA FILHO, Heber de Souza. Investigando a frequência escolar de crianças com epilepsia. Revista Educação Especial. v. 22, n; 35, p. 391-408, 2009.

Publicado
2016-11-10
Seção
Artigos