SONS E SILÊNCIOS: A IMPORTÂNCIA DA MUSICOTERAPIA EM INDIVÍDUOS COM PERTURBAÇÃO DO ESPETRO DO AUTISMO

Patrícia Raquel Silva

Resumo


Este estudo procurou demostrar como a musicoterapia, como técnica terapeuta, contribui para o desenvolvimento integral e harmonioso, no sentido de uma boa integração social, comportamental, cognitiva e emocional de indivíduos com a Perturbação do Espetro do Autismo (PEA). Abordamos a musicoterapia como técnica aplicada a indivíduos com Necessidades Educativas Especiais (NEE), com o objetivo de incrementar potencialidades nos indivíduos. Utilizamos metodologia qualitativa e quantitativa. Considerando a adequação dos participantes aos objetivos da investigação, utilizamos uma amostra de conveniência, ou seja, uma amostragem não probabilística. Para a obtenção da informação mais detalhada recorremos a análises dos registos do musicoterapeuta. Os instrumentos utilizados foram, o questionário e a entrevista semiestruturada elaborado pelo investigador,  e fizemos registo da nossa observação de campo. Concluímos que a musicoterapia é, de facto, um caminho exploratório da dimensão humana em toda a sua complexidade, emergindo canais de comunicação e cuja propagação tem possibilitado recentes e consistentes perspetivas de intervenção nos indivíduos com diagnóstico de Perturbação do Espetro do Autismo (PEA).

 


Palavras-chave


Música, Musicoterapia, Perturbação do Espetro do Autismo, Educação Especial, Intervenção Precoce.

Texto completo:

PDF PDF

Referências


ALMEIDA, L. S.; FREIRE, T. Metodologia daInvestigação em Psicologia e Educação. 5. ed.Braga-PT:Psiquilíbrios, 2010.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. DSM-IV-TR. Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais. Lisboa:Climepsi Editores, 2002.

AMARAL, N. D. Hospitalidade. Revista de saúde mental e relações humanas. Música e Dançoterapia, v. 164, n. 42, p. 165-174, 1978.

BENENZON, R. Manual de Musicoterapia. Barcelona:Paidós, 1985.

BENENZON, R.; GAINZA, V. H.; WAGNER, G. Sonido – Comunicación – Terapia. Salamanca: Amarú Ediciones, 1988.

BOGDAN, R., & BIKLEN, S. K (1982). Qualitative research for education: An introduction to theory and methods. Boston: Allyn and Bacon.

BOGDAN, R. & BICKLEN, S. (1994). Investigação qualitativa em educação. Porto. Porto Editora.

BRUSCIA, K. Modelos de Improvisación en Musicoterapia. Vitoria. Agruparte, 1999.

_____.Musicoterapia – Métodos y Prácticas. México: Editorial Pax/ Librería Carlos Cesarman, 2007.

HEWITT, S. Compreender o Autismo – estratégias para com os alunos nas escolas regulares. Porto Editora, 2005.

MORENO, J. J. Activa tu música interior. Musicoterapia y Psicodrama. Barcelona:Herder, 2004.

NELSON, J. R.; THOMAS, J. R. Métodos de Pesquisa em Atividade Física. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002.

OLANO, J. A. S. Los Niños com Autismo o Alteraciones Graves de laPersonalidad. ________________

OZONOFF, S.; DAWNSON, G.;McPARTLAND, J.A Parent´s Guide to Asperger Syndrome and High-Functioning Autism: How to meet the Challenges and Help your Child Thrive. New York: Guilford Press, 2002.

OZONOFF, S.; ROGERS, S.; HENDREN, R. Perturbações do Espectro do Autismo. Perspectivas da Investigação Actual. Lisboa:Climepsi Editores, 2003.

PORTUGAL. Lei n.º46/86. Lei de Bases do Sistema Educativo.Lisboa: Diário da República – I Série, n.º237 – de 14 de Outubro de 1986, p. 3067-3081.

PEREIRA, J. D. L.; VIEITES, M. F.; LOPES, M. S. Animação, Artes e Terapias.Lisboa. Intervenção – Associação para a promoção e divulgação cultural, 2007.

PEREIRA, M. C. Autismo, uma perturbação evasiva do desenvolvimento. Vila Nova de Gaia. Gailivro, 2005a.

____. A Família e a Escola Face ao Autismo. Vila Nova de Gaia-PT:Gailivro, 2005b.

Kanner, L. (1943). Autistic disturbances of affective contact. Nervous Child, Vol.2, 217 – 250.

SACKS, O. Um antropologo em Marte – sete histórias paradoxais. Lisboa:Relógio D´Água Editoras, 1995.

SIEGEL, B. O Mundo da criança com Autismo. Compreender e tratar perturbações do Espectro do Autismo. Porto-PT: Porto Editora, 2008.

SILVA, S. S. (2009). A Expressão Musical: (Re) Posição Social de adolescentes com Perturbações do Espectro do Autismo.2009. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação: Educação Especial)- Universidade Católica de Braga, 2009.

SOUSA, A. B. Psicoterapias Activas: (Arte-Terapias). Lisboa: Livros Horizonte, 2005.

SOUSA, M. J.; BAPTISTA, C. S. Como fazer investigação, dissertações, tese e relatórios, segundo Bolonha. Lisboa:Pactor, 2011.

TORRES, R. M. As canções tradicionais portuguesas no ensino da música – contribuição da metodologia de Zóltan Kodály. Lisboa:Caminho Editora, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 ISSN: 2358-1840

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported .