A INCLUSÃO ESCOLAR DO ALUNO COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA E TRANSTORNO DE OPOSIÇÃO DESAFIANTE

  • Suelen Tavares Godim
  • Renata da Silva Andrade Sobral

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar o processo de inclusão de alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Transtorno de Oposição Desafiante (TOD) na Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará. Para tal intento, partiu-se da seguinte questão problematizadora: de que forma realizar o processo de inclusão escolar do aluno com TEA/TOD na EAUFPA? Para isso, partiu-se da escolha do percurso metodológico com embasamento na Abordagem Qualitativa (GIL, 2002), desenvolvida por meio do Estudo de Caso (BOGDAN & BIKLEN, 1994), assim como,
da pesquisa bibliográfica, que subsidiou a revisão da literatura e a Pesquisa de Campo (MINAYO, 2010), que dispôs a proximidade do objeto de estudo em múltiplos aspectos. Após a realização
da pesquisa, verificou-se a partir dos dados coletados o surgimento de 2 categorias analíticas: a inclusão como direito e a inclusão seletiva. Em suma, a inclusão do aluno com múltiplos comprometimentos se dá mediante a um aparato legislativo, sendo disposta de uma forma seletiva, haja vista que há marginalização entre as deficiências. Nesse sentido, considera-se a inclusão do aluno com TEA e TOD um longo processo norteado pela dualidade in/exclusão do aluno com deficiência, primordialmente, pelas inerentes características individuais, temporais e factuais contextuais do ambiente escolar.

Publicado
2019-12-09