A gestão do conhecimento na educação especial: estudo de caso dos estudantes autistas da cidade de Toledo - PR

Arthur Gualberto Bacelar da Cruz Urpia, Letícia Fleig Dal Forno, Ivan Vieira da Silva

Resumo


Nos últimos anos, houve um aumento do número de pesquisas publicadas que discutem sobre os alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Esta literatura relata que o aluno com TEA enfrenta certas dificuldades, principalmente no que diz respeito à sua inclusão efetiva, o que prejudica um melhor desenvolvimento de suas capacidades. Assim, o objetivo do presente estudo consiste em propor o uso do Repositório Institucional como uma ferramenta de Gestão do Conhecimento no contexto escolar para contribuir no processo educacional do município de Toledo-PR, de modo a cooperar com o processo de ensino e de aprendizagem dos alunos da Educação Especial incluídos na Alfabetização e no Ensino Fundamental I. Metodologicamente, a presente pesquisa se enquadra como um estudo de casos múltiplos, tendo como foco o professor regente que leciona para alunos autistas da rede municipal de ensino do município de Toledo-PR. Foram coletados dados através de uma análise documental e de entrevistas semiestruturadas. Para a análise dos dados obtidos com as entrevistas, foi utilizada a técnica de análise de conteúdo. Como resultados, observou-se que as escolas do município têm determinadas limitações pedagógicas, como também necessidades de materiais para o trabalho pedagógico com alunos especiais, sobretudo os com TEA. Assim, a partir de tal constatação, este estudo sugeriu a criação de um Repositório Institucional (RI) que poderá ser adaptado ou constituído para o contexto da Educação Básica, especificamente, para as escolas com alunos especiais, sobretudo os com TEA.


Palavras-chave


Autismo. Gestão do Conhecimento. Repositório Institucional.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSUMPÇÃO, F.; PIMENTEL, A. Autismo Infantil. Revista Brasileira de Psiquiatria. v. 22, n. 1, p. 37-39, 2000.

BAILEY, C. W. Jr. Open access bibliography: liberationg scholarly literature with e-prints and openaccess journals. Washington, DC: Association of Research Libraries, 2005.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BELIZÁRIO FILHO, J.; LOWENTHAL, R. A inclusão escolar e os transtornos do espectro do autismo. In: SCHMIDT, C. (org.). Autismo, educação e transdisciplinaridade. Campinas: Papirus, p. 125-143, 2013.

BORUCHOVITCH, E. Algumas estratégias de compreensão em leitura de alunos do ensino fundamental. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, v. 5, n. 1, p. 19-25, jun. 2001.

BOSA, C. A.; CAMARGO, S. P. H. Competência Social, Inclusão Escolar e Autismo: revisão crítica da literatura. Psicologia & Sociedade, v. 21, n. 1, p. 65-74, 2009.

BRASIL. Resolução CNE / CEB nº 2 de 11 de setembro de 2001. Politica Nacional de Educação Especial na Educação Básica, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/resolucao2.pdf. Acesso em 17 de junho de 2018.

CHENG, E. C. K. Enhancing school learning capacity by conducting knowledge management. Social and Behavioral Sciences, v. 93, p. 281-285, 2013.

CHENG, E. C. K; LEE, J. C. K. Processo de Gestão do Conhecimento para a Criação de Escola Capital Intelectual. Ásia-Pacífico c Edu Res, v .25, n. 4, p. 559-566, 2016.

CHU, K. W. A partir de uma jornada de gestão do conhecimento em uma escola secundária, Journal of Gestão do Conhecimento, v. 20, pp.364-385, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1108/JKM-04-2015-0155. Acesso em junho de 2018.

CID-10. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. 100 Revisão; pp. 361-362. OMS/OPAS. EDUSP, São Paulo – SP, 2000.

COSTA, S. M.; LEITE, F. C. Repositório institucionais: potencial para maximizar o acesso e o impacto da pesquisa em universidade. Conferência Iberoamericana de publicações eletrônicas no contexto da comunicação científica, 1. Anais… Brasília, Univesidade de Brasília, 25 a 28 de abril de 2006.

CROW, R. The Case for Institutional Repositories. A SPARC Position Paper. Washington, DC: Scholarly Publishing & Academic Resources Coalition, 2002. Disponível em http://www.arl.org/sparc/IR/ir.html. Acesso em fevereiro de 2018.

DELORS, J. Os quatro pilares da Educação. 2004. Disponível em: http://www.profsergio.net/delors-pilares.pdf. Acesso em: 04 mai. 2018.

DRUCKER, P. F. O melhor de Peter Drucker: O Homem, A administração, A Sociedade. Obra completa. Tradução de Maria L. Leite Rosa, Arlete Simille Marques e Edite Sciulli, São Paulo: Nobel, 2002.

DSM-IV. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. 4. ed., [rev.]. Porto Alegre: Artmed, 2002.

FACHIN, G. R. B. et al. Gestão do Conhecimento e a Visão Cognitiva dos Repositórios Institucionais. Perspectivas e Ciência da Informação, v.14, n.2 p.220-236, maio./ago. 2009.

GOMES, C. G. S.; MENDES, E. G. Escolarização Inclusiva de Alunos com Autismo na Rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 16, n. 3, p. 375-396, 2010.

GRANDIN, T.; SCARIANO, M. M. Uma menina estranha: autobiografia de uma autista. São Paulo: Cia. das Letras, 1999.

IRAMUTEQ. Curso de Análise de Dados Textuais por meio do Software Iramuteq. 2017. Disponível em: Acesso em 15 de Dezembro de 2018.

LAWRENCE, S. Free online availability substantially increases a paper’s impact. Nature webdebates. 2003. Disponível em: http://www.nature.com/nature/debates/e-access/Articles/lawrence.html. Acesso em 20 nov 2018.

LIRA, S. M. de. Escolarização de alunos autistas: histórias de sala de aula. 2004. 151 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

MALEVAL, J. C. Os objetos autísticos complexos são nocivos. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 15, n. 2, p. 223-254, ago. 2009.

MANTOAN, M. T. E. A integração de pessoas com deficiência. São Paulo: Memnon, 1997.

MANTOAN, M. T. E. Todas as crianças são bem-vindas à Escola. Revista Profissão Docente, Uberaba, v. 1, n. 2, p. 1-19, mai./ago. 2001.

MCLENDON, W. Institutional repositories. Scholarly communications in a Digital World. 2005.

MEDEIROS, R. Criança encapsulada. Revista Psique ciência e vida, v. 6, n. 74. Fev. 2012.

MENDES, E. A pesquisa sobre inclusão escolar no Brasil: será que estamos caminhando de fato na busca de soluções para os problemas? In: DE JESUS, D. M.; BAPTISTA, C. R.; VICTOR S. L. Pesquisa e Educação Especial: mapeando produções. Vitória: Edufes, p. 155-176, 2006.

NUNES. D. R. P; AZEVEDO, M. Q. O.; SCHMIDT, C. Inclusão educacional de pessoas com Autismo no Brasil: uma revisão da literatura. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 26, n. 47, p. 557-572, 2013.

OLIVEIRA, R. R.; SAUER, A. B. S. A Contribuição da Investigação Apreciativa para a Constituição de um Contexto Compartilhado de Conhecimento na Escola Lápis de Cor. Artigo. XXXVIII EnANPAD, 13 A 17 de setembro, Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: Acesso em 01 de dezembro de 2018.

ORRÚ, S. E. A formação de Professores e a Educação de Autistas. Fundação de Ensino Octavio Bastos, Brasil. OEI-Revista Iberoamericana de Educación, ISSN: 1681-5653. Disponível em: < https://rieoei.org/historico/deloslectores/391Orru.pdf> Acesso em 11 de agosto de 2018.

RIBEIRO, N. C. et al. Importância dos Repositórios Institucionais para a divulgação institucional e a democratização do acesso aos resultados de pesquisas científicas> uma percepção internacional dos atores envolvidos em seu gerenciamento. XIX Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, 2016.

SALVIATI, M. E. (comp.). Manual do Aplicativo Iramuteq (versão 0.7Alpha 2 e R Versão 3.2.3). Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2016.

SANTOS, M. J. dos; PAULA, C. P. A. de. Gestão do conhecimento no contexto da gestão escolar: estudo de caso de uma escola pública. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 2, Número Especial, p. 159-174, out. 2012.

SERRA, D. A Educação de Alunos Autistas: entre os discursos e as práticas inclusivas das escolas regulares. Revista Eletrônica Polêmica, 2008.

STAINBACK, S.; STAINBACK, W. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

TOLEDO. Avaliação das Diretrizes, Metas e Estratégias do Plano Municipal de Educação - PME instituído pela Lei nº 2.195, referente ao período de 23 de junho de 2015 a dezembro de 2016. 2016. Disponível em: Acesso em: 23 de dezembro de 2017.

TOLEDO. Conselho Municipal de Educação. Deliberação nº 002/2014 –Toledo 2014.

ZILMER, P.; CHARCZUK, M. S.; FOLBERG, M. N. Reflexões sobre a prática: Escola ou clínica. Crianças psicóticas e autistas: a construção de uma escola, p. 27-38, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

 ISSN: 2358-1840

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported .